You are here

Share page with AddThis

Investigação e desenvolvimento

A Syngenta tem um profundo conhecimento das plantas, baseado em várias décadas de investigação e desenvolvimento. Cerca de 4 mil funcionários em cinco centros principais de I&D e várias estações de campo espalhadas pelo mundo dedicam-se a aumentar a produção das culturas e a melhorar a sua qualidade.

A Syngenta investe por dia mais de $2 milhões em I&D, colocando-nos entre os líderes da indústria. Com projectos que abrangem a protecção das culturas, sementes e biotecnologia, a Syngenta tem uma diversa plataforma sem paralelo. Isto permite-nos colaborar com linhas tradicionais do ramo e fornecer combinações ideais de soluções químicas e genéticas para ir de encontro ao desafio que é o aumento da produtividade por parte dos produtores.

Um dos melhores exemplos de colaboração bem-sucedidos é a Seed Care. Criamos um valor máximo para os produtos através da combinação de características de sementes seleccionadas, com tratamentos químicos que protegem a semente a partir do dia em que é semeada.

As directizes da Crop Protection & Seeds fornecem claras evidências acerca da direcção comum e interligação da nossa investigação.

Ambas as directizes referem-se a tecnologias que visam a resistência à seca e que vão desde os tratamentos químicos a sementes de milho resistente à seca. Isto pode melhorar o rendimento em casos de escassez de água. Também procuramos uma potencial sinergia entre a nossa tecnologia de melhoramento genético de segunda geração e o nosso portefólio de protecção de culturas.


Inovação, gestão do ciclo de vida

A cooperação internacional entre as equipas de I&D acelera o ritmo da inovação, trazendo mais depressa novos produtos ao mercado e aumentando o retorno do investimento. Recentes mudanças nos nossos projectos incluem a gestão simultânea de fases de desenvolvimento que antes eram sequenciais. Isto permitiu-nos reduzir o tempo média de descoberta de um composto até à sua introdução no mercado em cerca de dois anos. A Syngenta tem agora um processo global de I&D, que está entre os mais rápidos na indústria de protecção de culturas. Na Seeds, introduzimos no mercado características como Agrisure®RW num tempo recorde.

O processo de I&D para produtos químicos ainda é longo – cerca de oito anos – sendo os testes ambientais um elemento chave. O respeito pelo meio ambiente está inerente ao desenvolvimento dos nossos produtos, e é a base do nosso compromisso para tornar a agricultura mais sustentável.

A gestão do ciclo de vida é também uma parte integrante do nosso investimento em I&D. Permite-nos maximizar o valor dos nossos compostos e ir de encontro ao desafio de lidar com organismos vivos – infestantes, doenças e insectos – que podem frequentemente desenvolver resistências a soluções existentes. O potencial de vendas, significativamente maior, do nosso fungicida Amistar®, por exemplo, reflecte a nossa capacidade de combiná-lo com outros produtos, para alcançar novos efeitos e soluções. Os ciclos de vida na Seeds são continuamente alargados através do uso do melhoramento assistido por marcadores moleculares para introduzir novas variedades no mercado.


Novas instalações, mais parceiros

Na sequência da inauguração do nosso centro químico de I&D em Goa, na Índia, em 2007, a Syngenta tomou medidas importantes para fortalecer ainda mais a sua capacidade de I&D. Em Abril de 2010, abrimos oficialmente os laboratórios de investigação química e o Seed Care Institute no nosso espaço em Stein, na Suíça. Ao mesmo tempo, anunciámos a abertura de um novo centro de biotecnologia em Pequim, China. Este irá concentrar-se na avaliação primária das características GM para as culturas chave, tais como milho e soja, nas áreas de cultivo melhorado, resistência à seca, controlo de doenças e conversão de biomassa para biocombustíveis.

Também estamos a investir 35 milhões de dólares no nosso centro de I&D em Jealott’s Hill, no Reino Unido, que se debruça sobre o desenvolvimento de novos herbicidas. O investimento vai aumentar a capacidade de liderar a indústria tecnologicamente e irá acelerar ainda mais a entrega de novos produtos ao mercado. A investigação em Jealott’s Hill é complementada pelo trabalho da Syngenta Biotechnology Inc. (SBI), com sede no Research Triangle Park, Carolina do Norte, E.U.A, que se concentra em soluções biotecnológicas, incluindo soluções resistentes a herbicidas.

Para além do alargamento da nossa organização global I&D, continuamos a colaborar com numerosas empresas e instituições. O aumento da nossa rede de colaborações em todo o mundo em 2008, incluiu acordos com a Athenix Corporation para a descoberta de um novo insecto de genes resistentes às brocas do milho, ao nemátodo de cisto da soja, e com a Dow Agrosciences®, para avaliar compostos para o nosso portofolio da Seed Care.

No total, a Syngenta está envolvida em mais de 400 colaborações por todo o mundo.

O nosso fundo de capital de risco LSPB procedeu à injecção de capital na Asoyia, uma empresa de sementes que desenvolve óleo de soja com baixo teor de ácido linoleico. E também na IBI, que desenvolve e fabrica sistemas de teste portáteis para microrganismos, proteínas e pequenas moléculas.


Ligações fortes, grande reconhecimento

Atrair e manter talentos é a chave do nosso sucesso na I&D. Parte disto deve-se à motivação e formação dos funcionários, dando-lhes acesso à rede global da Syngenta e plena consciência do seu potencial. Em 2008, continuámos com a nossa troca de eventos informativos “Syngenta Science Live” que proporcionou um amplo fórum para compromissos em locais de todo o mundo. Também demos início ao programa de acompanhamento “Science Matters”, a qual elevará este compromisso a um nível mais técnico e científico.

A nossa organização Syngenta Fellows, para os cientistas distinguidos da empresa, realizou dois colóquios internos e voltou a premiar dois jovens colegas pelo seu trabalho exímio em I&D.

A Syngenta recebeu recentemente louvores externos pelo trabalho de I&D inovador, que ajuda a lidar com graves desafios globais. O mais notável de entre eles foi o “World Business and Development Award”, pelo desenvolvimento e introdução bem-sucedidos da beterraba açucareira tropical.