You are here

Share page with AddThis

Insectos do solo - Alfinetes em Milho

Agriotes ou Athous


Descrição

Existem 53 géneros de alfinetes, incluindo 14 tipos de Agriotes e 39 tipos de Athous.

Entre os Agriotes, existem várias espécies, principalmente o Agriotes sordidus, o Agriotes sputator, e o Agriotes lineatus...

Género Agriotes
Adulto: corpo muito alongado de 6 a 12 mm, totalmente revestido nas superfícies dorsais e ventrais por uma fina camada cinza esbranquiçada.
É constituído por um pronoto castanho escuro, arredondado no dorso e por élitros estreitos, alongados na ponta, avermelhados.
A sua cabeça é grande e quase totalmente escondida pelo tórax.
Larva: 17 a 20 mm de comprimento, com uma largura inferior a 2 mm. A sua cabeça é achatada com mandíbulas curtas.
O seu corpo cilíndrico, amarelo pálido brilhante, é extremamente duro e resistente, daí o seu nome de larva ''arame''.
Ovo: ligeiramente oval de 0,5 mm, com postura em grupos.

Género Athous
A espécie Athous é similar à Agriotes.
É quase idêntico, mas distingue-se por algumas características morfológicas.
Athous é maior e menos móvel que Agriotes com dois apêndices caudais.

Ciclo de desenvolvimento
 

Ciclo dos alfinetes: espécies de ciclo longo (5 anos)
Exemplos: A. lineatus, A. sputator, A. obscurus

Ciclo dos alfinetes: espécies de ciclo curto
Exemplo: Agriotes sordidus

A larva de alfinete é muito polífaga e cresce à custa das raízes de culturas muito variadas (todo o tipo de culturas para o género Agriotes, cereais de inverno para o tipo Athous).

Após a fase de pupa, o adulto hiberna no solo, aparece na Primavera, voa apenas à noite e caminha activamente. Come as folhas das mais variadas plantas, cultivadas ou silvestres.

O macho morre logo após o acasalamento, a fêmea morre no final do Verão.

Os ovos são depositados numa profundidade de 20 a 60 mm, individualmente ou em grupos de 3 a 12, de preferência em terrenos húmidos ou frescos, desenvolvem-se de 25 a 60 dias, dependendo do sítio da postura (fecundidade de 150 a 200 ovos).

A larva é muito sensível à seca e move-se verticalmente no solo, dependendo da humidade, da temperatura do solo e da época.

Escava túneis e ataca as partes subterrâneas das plantas, com paragens de actividade no Verão e no Inverno.

O desenvolvimento larvar necessita de 4 anos e a larva realiza 8 mudas.

No mês de Maio do 5º ano de desenvolvimento, a larva inicia a fase de pupa.

Os adultos surgem no Verão e permanecem em diapausa até o mês de Março do ano seguinte.

Fazem a postura no final de Maio, a início de Junho.

Danos
 

Numerosas culturas (principalmente o milho, as pastagens, os cereais e as batatas) podem ser afectadas por ataques precoces e tardios.

Os danos representam algumas extensões de destruição; por vezes, podem chegar à destruição quase total da parcela.

Os alfinetes passam 80% do seu ciclo de vida no estado larval enterrados no solo: podemos encontrar no mesmo terreno larvas de todas as idades medindo de 2 a 25 mm.

Atraídos pelas plantas, as larvas movimentam-se no solo, furam ou roem a parte subterrânea das plântulas. Escavam, por vezes, túneis, causando danos de intensidade variável.

Medidas de profilaxia
 

Apenas luta preventiva.

Previsão dos alfinetes por armadilhas e por sondagem (amostra de terra).

Tratamento das sementes: Os tratamentos das sementes de cereais podem, como o tratamento na linha, proteger a cultura em curso.

Tratamento do solo: apenas os tratamentos de solos em pleno com uma incorporação homogénea podem gerar grandes infestações.

Tratamentos localizados (micro granulado) na linha permitem lutar contra esta praga nas culturas de beterraba, milho, girassol e batata.

Anterior: Evitar as culturas em parcelas com risco muito elevado (antigas pastagens, pousio, luzerna).

Soluções Syngenta
 

Problema - imagens
Clique na imagem para ampliar

Danos em milho por Alfinetes

Milho

Danos em milho por Alfinetes

Milho