You are here

Share page with AddThis

Syngenta organiza Tour Tomate Indústria no Ribatejo

23.07.2015

O Tour Tomate Indústria Syngenta cumpriu um itinerário por quatro explorações agrícolas no Ribatejo, a 17 de Julho, por onde passaram técnicos das organizações de produtores, da distribuição e da indústria.

Além das variedades de tomate, onde se destaca a Ifox, a Syngenta apresentou o seu portfólio para a proteção da cultura, nomeadamente o inseticida Affirme o fungicida Ortiva Top, e revelou novos produtos em fase de registo.

Num ano marcado pelo aumento de área nacional de tomate para indústria - 18.861 hectares e 1.696.663 toneladas contratadas com a indústria – e por um clima de otimismo em relação à remuneração da cultura, a Syngenta realizou um dia de campo para mostrar o estado de desenvolvimento do seus campos de ensaio, instalados em quatro grandes explorações agrícolas do Ribatejo: no Vale de Santarém, em Valada do Ribatejo e em Vila Franca de Xira.

«Os campos apresentam-se bem desenvolvidos, apesar de estarmos ainda a algumas semanas da colheita, em algumas variedades. O Ifox, o tomate que lançámos em 2014, apresentou florações concentradas, bons vingamentos e boa frutificação. É uma variedade que apesar de não se caracterizar por muito corpo, irá certamente ter produções consideráveis à colheita. As primeiras análises ao brix, nesta fase, indicam valores de 5,2º a 5,6º», explica Rita Presume, técnica gestora de conta cliente da Syngenta no Ribatejo.

O Ifox está a ser testado pela indústria Monliz com o objectivo de avaliar a potencialidade da variedade para fatiar em cubos e congelar. João Geada, um dos quatro agricultores que participou dos ensaios com 300 hectares de área de tomate, diz a propósito do Ifox: «estou a gostar de ver o campo, as plantas desta variedade, que em geral são porte pequeno, este ano estão a crescer mais do que o normal». A alta resistência do Ifox ao vírus TSWV é uma das características mais apreciadas pelos agricultores nesta variedade, tal como noutras ainda não comerciais e apresentadas pela Syngenta no Tour.

«O desenvolvimento vegetativo e a frutificação das variedades que testámos correspondem às nossas expectativas para esta fase do ciclo e o brix oscila entre os 5,2º e os 5,6º, consoante as variedades e as parcelas», afirma Gilberto Lopes, field expert da Syngenta, acrescentando «a gama de sementes que apresentámos permite-nos cobrir desde os ciclos precoces, a médio-precoces e tardios».

A Syngenta apresentou a sua gama de produtos para proteção da cultura do tomate indústria, alguns dos quais usados nos 4 campos de ensaios com resultados bastante positivos. É o caso do fungicida Ortiva Top, que permite o controlo simultâneo do míldio, do oídio e da alternaria. José Carlos Cordeiro, produtor de 180 hectares de tomate no Vale de Santarém, aplicou o fungicida em toda a área com bons resultados: «tive um foco de oídio numa parcela e decidi fazer uma aplicação de Ortiva Top de forma preventiva em toda a minha exploração, e também para prevenir o míldio. Não tenho focos de infeção». Na gama de inseticidas este agricultor dá preferência ao Affirm para controlo da Tuta absoluta e das lagartas.

A Syngenta caminha no sentido de reforçar a sua gama de produtos para proteção da cultura do tomate indústria, aguardando para breve o registo e lançamento comercial do fungicida Revus Top e do inseticida Ampligo (composto por duas substâncias ativas que atuam de forma complementar e indicado para as culturas do milho e do tomate indústria).

Foi ainda dado destaque ao insecticida Eforia lançado recentemente (produto multicultura e multipraga, atuando no controlo das lagartas, mosca branca e afídeos)

Os técnicos que participaram no Tour Tomate Indústria Syngenta elogiam a iniciativa. «É importantíssimo este dia de campo para observarmos as diferenças no comportamento das variedades em vários produtores, com diferentes datas de plantação, e formas distintas de fertilizar a cultura», afirma Georgina Rodrigues, técnica comercial do distribuidor Borrego Leonor e Irmão. Susana Branco, por parte do corpo técnico do viveiro Brasplanta, considera que «este dia de campo é extremamente importante para troca de ideias e experiências entre técnicos de toda a Fileira do tomate indústria, desde a produção à indústria».