You are here

Share page with AddThis

Escola de Milho Syngenta lança bases para o futuro

Noticias
14.06.2014

A Escola de Milho Syngenta reuniu-se para avaliar os resultados dos ensaios de milho que decorrem na Escola Profissional Agrícola Conde de São Bento (EPACSB), em Santo Tirso, onde está instalado o 1º Centro de Experimentação Syngenta em Portugal.

A Syngenta lança as bases para o futuro através de variedades inovadoras, apoiadas por uma gama de produtos que em campo ajudam a expressar o elevado potencial genético das suas sementes e apostando em parcerias com empresas que, tal como ela, visam criar mais valor para o agricultor.

Juntar especialistas da cultura do milho e partilhar conhecimento é o objectivo da Escola de Milho Syngenta. A última edição teve lugar em Santo Tirso, no início de Julho, com a presença de cerca de 40 técnicos de distribuidores, cooperativas e pontos de venda, no Centro de Experimentação Syngenta, onde decorrem diversos ensaios na cultura do milho.

Relativamente a variedades, a grande novidade é o Hydro, que chegou ao mercado português na actual campanha. «O Hydro é um ciclo 600 comercializado na minha zona pela primeira vez e do qual apenas tinhamos resultados de ensaios. No campo da Escola Agrícola de Santo Tirso está excelente, e na grande maioria dos campos (comerciais) que acompanho também. Apresenta-se como uma planta robusta e cheia de vitalidade, com muito bom porte para a fase de desenvolvimento em que se encontra», garante Cristina Monteira, técnica da empresa Sanorte e uma conhecedora da realidade agrícola local.

O Hydro é a primeira variedade da Syngenta com a nova tecnologia ARTESIAN. Trata-se de um milho com dupla aptidão para grão e silagem, que consegue produtividades mais altas em condições óptimas de rega e, quando exposto a situações de stress hídrico, tem menos perdas de produção do que as variedades convencionais.

O ensaio em curso na EPACSB contempla também duas variedades chave da Syngenta para a silagem- o Sincero (FAO 500) e o Verdemax (FAO 600). «São já bem conhecidas na região do Minho e reconhecidas pela alta produção, com resultados de silagem excelentes, e como tal têm vindo a ganhar mercado de ano para ano», garante Cristina Monteiro.

Victor Faria, técnico da Cooperativa Agrícola de Vila do Conde, aprofunda a descrição: «o Sincerocaracteriza-se por um arranque rápido, conseguindo inicialmente superar todas as outras variedades. No apronto final destaca-se por ser uma planta completa, bem constituída e com uma grande produção de amido nas análises de silagem realizadas». Quanto ao Verdemax «é uma variedade com um potencial tremendo. Em terrenos férteis, com uma acidez controlada e um acompanhamento preciso, é das variedades existentes no mercado que mais massa verde e grão produzem. Apenas um inconveniente: é bastante longo em termos de ciclo», conclui.

Isabión - nutriente biológico de última geração

A Syngenta disponibiliza uma gama de produtos que ajudam as sementes a expressar em campo o seu elevado potencial genético. É o caso do novo Isabión, um nutriente biológico composto de aminoácidos livres e péptidos de cadeia curta e longa, para aplicação foliar e em fertirrega, e adequado a diversas culturas. Actua estimulando a fotossíntese das plantas, o que contribui para aumentar a área foliar do milho, um requisito essencial no caso da produção de silagem.

«O Isabión foi utilizado por pulverização foliar e tal como era esperado, com resultados muito positivos. De todas as vezes que recorri ao Isabión o efeito foi sempre visível, tendo sido especialmente evidente quando utilizado em fases críticas ou de stress da planta. Além disso, é um produto que apresenta uma relação entre os custos e os resultados muito positiva e que pela existência da nova embalagem de 1 litro se adapta a um maior leque de situações e realidades», afirma Cristina Monteiro.

Lumax e Elumis controlam infestantes

No que se refere ao controlo de infestantes na cultura do milho, os produtos-chave da Syngenta são oLumax e o Elumis. No ensaio de Santo Tirso foram utilizadas duas modalidades com o Lumax - em pré-emergência e em pós-emergência precoce (às 3 folhas) - e uma modalidade com o Elumis, em pós-emergência.

Os técnicos da região reconhecem a eficácia do Lumax e defendem uma estratéga de controlo das infestantes em pré-emergência e pós-emergência precoce. Victor Faria dá a sua perspectiva sobre o melhor posicionamento do produto: «acho que é um herbicida muito bom, quando após a sua aplicação seja incorporado ao milho a abicar ou até às 3 folhas. O ideal é aplicá-lo em condições de humidade, como aconteceu este ano, o que permitiu demonstrar a eficácia deste herbicida».

Quanto ao Elumis, Cristina Monteiro explica: «Por si só, ou em conjunto com outra matéria activa, apresentou bons resultados, sem danos na planta do milho, desde que respeitadas as doses e com os devidos cuidados de aplicação, mas será sempre a segunda linha de ataque, pelas perdas de produção que resultam do ataque tardio às infestantes».

Parcerias que criam valor

A Syngenta valoriza as parcerias com empresas que tal como ela visam a melhoria do rendimento das culturas, buscando soluções à medida das necessidades dos agricultores. Estiveram na Escola de Milho duas empresas parceiras: a Cadubal, com um programa de fertilização incluído no ensaio das variedades Syngenta, e a Lallemand, que apresentou os resultados da aplicação de aditivos inoculantes biológicos nos silos de milho.

A silagem de milho, em Portugal, representa a base da alimentação de bovinos de leite. Se no campo tentamos ao máximo potenciar a produção e a qualidade da silagem, quando a forragem em verde é colocada no silo, o grande objectivo passa por limitar as perdas de matéria seca, procurando que a qualidade obtida no campo seja transferida na sua totalidade para a dieta dos animais. A utilização dos inoculantes Lallemand, em concreto o LalSil Fresh, tem por objectivo a estabilidade aeróbica da silagem.

«O ensaio efectuado com milhos Syngenta na Escola Agrícola de Santo Tirso, em que foram introduzidos dentro de um silo trincheira não inoculado sacos de ráfia tratados com LalSil Fresh e sacos não tratados com qualquer tipo de inoculante, demonstraram, através da utilização de LalSil Fresh, uma diminuição das perdas de matéria seca na ordem dos 7%, confirmando o elevado retorno do investimento que o inoculante Lallemand transfere ao produtor de leite», afirma Luís Queirós, responsável da Lallemand em Portugal.

 

Pela sua parte César Trigo, Técnico Gestor Conta Distribuidor da Syngenta para o Minho, Madeira e Açores, faz um balanço da campanha: «esta tem sido uma campanha para consolidar a nossa presença na cultura do milho, quer a nível de herbicidas e insecticidas, bem como na gama desementes. Referir que lançamos bases para o futuro, com a variedade de milho SY Hydro, do bioestimulante Isabión e a nova solução herbicida pós-emergente Elumis. Em mais esta edição da Escola de Milho foi possível demonstrar a todos os presentes que as soluções Syngenta são apropriadas à cultura do milho no Minho e apresentam enorme eficácia», conclui.

 

A Syngenta é uma das empresas líderes no seu ramo de actividade. O grupo emprega mais de 27.000 pessoas em mais de 90 países, com um único objectivo comum: trazer para a vida o potencial das plantas. Através da excelência dos nossos cientistas, da nossa presença a nível mundial e do empenho de todos os nossos colaboradores em responder às necessidades dos nossos clientes, ajudamos a maximizar a produtividade e o rendimento das culturas, a proteger o ambiente e a melhorar a saúde e a qualidade de vida. Para mais informações sobre a Syngenta, consulte o site www.syngenta.pt owww.syngenta.com.