You are here

Share page with AddThis

Jornadas de Vinha Syngenta levam 140 viticultores a Palmela

Noticias
22.04.2015
Jornadas de Vinha Syngenta levam 140 viticultores a Palmela

A Syngenta realizou a 9 de Abril, no Cineteatro S. João, em Palmela, umas Jornadas Técnicas de Vinha. A Associação de Viticultores do Concelho de Palmela-AVIPE associou-se ao evento com uma apresentação sobre eficiência da aplicação de produtos fitofarmacêuticos.

Estiveram em destaque os fungicidas Pergado F e Dynali e o inseticida Luzindo, três produtos-chave do portfólio Syngenta para proteção da cultura da vinha, e o sistema de gestão de efluentes fitossanitários Heliosec.

Num momento em que se inicia o ciclo vegetativo da vinha, a Syngenta reuniu viticultores e técnicos da Península de Setúbal para debater a proteção da cultura e apresentar soluções integradas.

Além do seu completo portfólio, que inclui fungicidas e inseticidas para controlo e prevenção das pragas e doenças que atingem a vinha, a Syngenta está a fazer uma clara aposta no aconselhamento técnico e formação dos agricultores no que se refere à aplicação dos produtos fitofarmacêuticos, de modo a aumentar a eficácia com a dose mínima necessária.

Miguel Cachão, técnico da AVIPE, associação que presta assistência técnica a cerca 4000 hectares de vinha na Península de Palmela, deu alguns conselhos práticos importantes sobre como conseguir uma aplicação eficaz dos produtos. Nas misturas de formulações sólidas com formulações líquidas, o produto sólido é o primeiro a entrar no depósito do pulverizador, tal como nos pós molháveis é fundamental fazer uma diluição prévia. A escolha do tipo de bico, da pressão de débito do pulverizador e do volume água, consoante a massa foliar da vinha são também determinantes para garantir uma cobertura e proteção eficaz da cultura. Por outro lado, a calibração dos pulverizadores, uma operação simples e rápida, é essencial para que a quantidade certa de produto atinja o seu alvo - a cultura.

«São pormenores, mas podem fazer toda a diferença na proteção eficaz da vinha, sobretudo em anos de forte pressão de pragas ou doenças», rematou Miguel Cachão, lembrando à audiência duas datas importantes: 26 de Novembro de 2015 (obrigatoriedade de frequência de curso de aplicador) e 26 de Novembro de 2016 (obrigatoriedade de inspeção de pulverizadores).

Alguns dos técnicos que assistiram às Jornadas dão o seu testemunho sobre o tema da aplicação e sobre as soluções da Syngenta.

«Estamos a trabalhar com pulverizadores novos, somos bastante cuidadosos a escolher o tipo de bicos mais adequados a cada situação e temos vindo a reduzir o volume de calda aplicado à vinha, com resultados visíveis na poupança de horas de trabalho, mas sem comprometer a eficácia dos produtos na proteção da vinha», afirma João Pedro, técnico de Viticultura da Herdade da Barrosinha, proprietária de 98 hectares vinha, em Alcácer do Sal, que assistiu às Jornadas.

A Herdade da Barrosinha iniciou os tratamentos de Primavera nas suas vinhas com o Score, um fungicida da Syngenta com ação preventiva da escoriose e de outras doenças do lenho. «O problema agora está controlado. A aplicação do Score foi uma decisão que resultou da articulação entre a Barrosinha, os técnicos da AVIPE e da Syngenta, um triângulo que funciona muito bem», garante João Pedro.

Na Herdade do Rio Frio, proprietária de 118 hectares vinha no concelho de Palmela, a preocupação com a eficácia e rentabilização dos tratamentos é essencial: «adaptamos a quantidade de calda ao volume da vegetação da vinha, não só pela questão ambiental, mas porque a contenção de custos é hoje uma necessidade devido ao preço dos fatores de produção. Por cada litro de vinho é preciso rentabilizar todos os inputs», explica Erica Falcato, técnica de Viticultura desta empresa que também esteve nas Jornadas. Neste início de campanha, Erica já aplicou dois fungicidas Syngenta nas vinhas do Rio Frio – o Quadris Max, como tratamento preventivo do míldio e do oídio, e o Pergado F, porque «quando há pressão elevada de míldio é melhor prevenir que remediar e nós confiamos no Pergado F».

Heliosec - a solução natural para os restos de calda

Dar o destino correto aos restos de caldas, minimizando o seu impacto no meio ambiente e garantindo a segurança dos aplicadores é uma preocupação da Syngenta. O Heliosec, um inovador sistema de gestão dos efluentes fitossanitários, onde se englobam os efluentes resultantes da lavagem dos pulverizadores como os restos de calda, é a solução que a empresa propõe às explorações agrícolas. O Heliosec atua por desidratação natural, através da ação do sol e do vento.

Nas Jornadas realizadas em Palmela, o Heliosec suscitou o interesse de técnicos e viticultores, que se veem confrontados com legislação ambiental cada vez mais apertada e com exigências crescentes de alguns mercados consumidores de vinho no que toca à responsabilidade ambiental dos produtores/engarrafadores.

«O Heliosec parece-me um sistema concebido de forma inteligente, uma ideia brilhante da Syngenta para gerir os restos de caldas. Gostaria imenso de o instalar no Rio Frio», admite Erica Falcato. «É algo que vou sugerir à nossa administração. O Heliosec é uma solução interessante, nomeadamente devido às novas regras sobre uso sustentável de produtos fitofarmacêuticos», acrescenta João Pedro da Herdade da Barrosinha.

O formato escolhido pela Syngenta para estas Jornadas, que incluiu a intervenção de um humorista nos intervalos das apresentações técnicas, agradou à audiência que se manteve bem-disposta e concentrada ao longo de todo o dia.

As Jornadas de Vinha Syngenta fazem parte de um conjunto de eventos comemorativos do aniversário do Ridomil e do Topaze, que assinalam este ano 35 e 30 anos, respetivamente. Estes são dois dos fungicidas mais consagrados do portfólio Syngenta e que continuam no topo das preferências dos agricultores portugueses.

 

A Syngenta é uma das empresas líderes no seu ramo de actividade. O grupo emprega mais de 28.000 pessoas em mais de 90 países, com um único objectivo comum: trazer para a vida o potencial das plantas. Através da excelência dos nossos cientistas, da nossa presença a nível mundial e do empenho de todos os nossos colaboradores em responder às necessidades dos nossos clientes, ajudamos a maximizar a produtividade e o rendimento das culturas, a proteger o ambiente e a melhorar a saúde e a qualidade de vida. Para mais informações sobre a Syngenta, consulte o site www.syngenta.pt o www.syngenta.com.