You are here

Share page with AddThis

Syngenta na região do Vinho Verde para balanço da campanha

Noticias
12.09.2014

A Syngenta esteve na região do Vinho Verde para tomar o pulso à campanha vitícola e mostrar os resultados da sua plataforma demonstrativa em Monção e Melgaço.

Num ano pautado por grandes variações nas temperaturas e chuva abundante, que originou desavinho e bagoinha à fecundação e provocou ataques tardios de míldio e oídio, a estratégia Syngenta para protecção da cultura mostrou-se adequada, impedindo estragos nas uvas.

No dia 3 de Setembro, a Syngenta reuniu cerca de 100 agricultores na região do Alvarinho para uma visita a duas das cinco explorações onde está instalada a sua plataforma demonstrativa para a cultura da vinha no Minho, em concreto as quintas dos viticultores Adelino Gregório, em Melgaço, e Júlio Araújo, em Monção.

O ano vitícola, considerado atípico do ponto de vista da incidência de doenças, sobretudo na fase final do ciclo, foi favorável a ataques tardios de míldio ao nível do cacho e a alguma podridão cinzenta (botrytis cinerea). «Com as chuvas das últimas semanas os cachos estão a ficar inchados e os ataques de botrytis aparecem. Os nossos agricultores têm optado por aplicar Switch, pela sua eficácia e pelo curto intervalo de segurança que apresenta. Quanto ao míldio, o Ridomil é uma escolha já unânime entre os agricultores da região quando se trata de prevenir e controlar a doença, que este ano se manifestou de forma severa», explica Vasco Rodrigues, técnico da empresa LC Domingues, distribuidor Syngenta na região.

Na parte final do ciclo de produção, a estratégia Syngenta para controlo do míldio incluiu produtos comoQuadrix Max, Pergado, Ridomil Combi e Cuprocol, que foram mais do que suficientes para que a vinha dos campos demonstrativos não apresentasse quaisquer sintomas. No que se refere ao oídio, os ataques registados no final de Junho e início de Julho, puderam ser controlados graças à nova soluçãoDynali, que também apresenta acção no controlo do Black Rot.

«Nos cinco campos de ensaio que temos na região do Vinho Verde, podemos constatar que a estratégia Syngenta permite-nos ter os campos completamente limpos num ano como este», constata Pedro Martins do Departamento Técnico da Syngenta para as regiões do Entre Douro e Minho, Beira Litoral, Açores e Galiza.

As doenças do lenho, problema que afecta as vinhas um pouco por todo o país, estiveram em foco neste dia de campo. A convite da Syngenta, Jorge Sofia, técnico da Estação de Avisos do Dão e especialista nestas patologias, partilhou informação sobre a Esca e a Escoriose Europeia, tornando a sessão enriquecedora quer para os viticultores do Alvarinho, quer para os técnicos presentes. A este propósito a Syngenta apresentou o Switch, como solução preventiva da doenças do lenho, uma vez que é indicado para tratar as jovens videiras antes da plantação, e o Score, que está homologado para a Escoriose Europeia.

De acordo com as previsões do Instituto da Vinha e do Vinho (IVV), a região onde o Vinho Verde predomina deverá ter um recuo na produção de 10%, com uma vinificação estimada em 717.000 hectolitros de vinho. Na origem desta quebra esteve também o tempo frio e chuvoso na fase da floração, que originou desavinho e bagoinha à fecundação, bem como a queda de granizo nalguns concelhos do interior e a presença de Flavescência Dourada em algumas zonas (nomeadamente Ponte de Lima e Amares).

A nível nacional a produção de vinho é estimada em 5,9 milhões de hectolitros de vinho, face aos 6,2 milhões que tinham sido registados na campanha anterior. O volume de vinho que irá ser produzido está cerca de 6% abaixo da média das últimas cinco campanhas, estima o IVV.

A Syngenta é uma das empresas líderes no seu ramo de actividade. O grupo emprega mais de 27.000 pessoas em mais de 90 países, com um único objectivo comum: trazer para a vida o potencial das plantas. Através da excelência dos nossos cientistas, da nossa presença a nível mundial e do empenho de todos os nossos colaboradores em responder às necessidades dos nossos clientes, ajudamos a maximizar a produtividade e o rendimento das culturas, a proteger o ambiente e a melhorar a saúde e a qualidade de vida. Para mais informações sobre a Syngenta, consulte o site www.syngenta.pt owww.syngenta.com.