You are here

Share page with AddThis

Nóctuas ou Rosca - Lagartas de solo em Batata

Agrotis spp.


Neste grupo estão incluídos os lepidópteros vulgarmente designados por roscas, destacando-se a Agrotis segetum (Dennis & Schiffermuller) e a Agrotis ipsilon (Hufganel).

Morfologia
 

Adultos - 3 a 6 cm. de envergadura com asas anteriores, de coloração cinzenta a castanha, mais ou menos escura.

Cada espécie apresenta desenhos característicos.

As asas posteriores são esbranquiçadas, quase brancas, com nervuras escurecidas, principalmente junto às margens.

Larvas – Medem entre 3 a 5 cm. Apresentam, geralmente, uma coloração cinzento-mate, bem como uma série de pontos negros ao longo do corpo.

A cabeça é relativamente pequena e as patas abdominais são pouco desenvolvidas.

O corpo é de superfície lisa e, mais ou menos, marcado com linhas longitudinais.

Pupas – Medem entre 1,7 e 1,9 cm, de comprimento, apresentando uma cor amarelo-acastanhada.

Ovos – Têm aproximadamente 0,5 mm de diâmetro sendo mais largos que compridos. Apresentam uma série de estrias longitudinais.

Bioecologia
 

Estas espécies têm, geralmente, duas gerações anuais.

No entanto, por vezes, pode ocorrer uma 3ª geração mais ou menos completa.

Os adultos, tal como as larvas, têm costumes nocturnos.

A vida dos adultos varia entre os 10 e os 23 dias.

As fêmeas adultas depositam os ovos em placas nas folhas ou no solo, ao pé das plantas, em número muito variável.

As larvas apresentam 6 ou 7 estádios de desenvolvimento. A duração média do seu desenvolvimento é de aproximadamente 25 dias.

As larvas permanecem escondidas no solo, junto às plantas, durante o dia. Durante a noite saem para se alimentar, altura em que provocam os prejuízos nas culturas.

Os estados larvares mais avançados raramente ascendem à parte aérea, alimentando-se de raízes e colo das plantas.

Estas lagartas enrolam-se de forma característica quando estão em repouso ou quando são incomodadas.

Quando termina o desenvolvimento larvar, enterram-se no solo para pupar, a uma profundidade superior à maioria das outras espécies que pupam no solo.

A hibernação dá-se no estado larvar.

Prejuízos
 

As larvas mais jovens alimentam-se das folhas tenras originando uma significativa perda da superfície foliar da cultura.

Quando as larvas são maiores causam estragos ao nível do colo os quais originam a morte da planta ou, favorecem a entrada de fungos patogénicos.

Os estragos são mais importantes e frequentes em plântulas e/ou plantas jovens, destruindo, nalgumas casos, um grande número de plantas. Os ataques mais graves obrigam, frequentemente, à realização de retanchas.

Nas plantas mais desenvolvidas os estragos ocorrem ao nível do sistema radicular, através da abertura de galerias, as quais favorecem a entrada de fungos patogénicos.

Os estragos podem ser detectados em focos mais ou menos definidos, ou afectar a totalidade da parcela quando ocorrem numerosas posturas dispersas.

Estratégia de protecção
 

A observação cuidadosa das infestantes, marginais à parcela, é extremamente importante, uma vez que é aí que ocorrem muitas das posturas que contribuem para a proliferação desta praga.

Logo que se detecte a presença de larvas na cultura, ou nas armadilhas de monitorização, há que efectuar tratamentos.

Soluções Syngenta
 

Problema - imagens

Click an image to enlarge it

Rosca

Batata

Rosca em batata

Batata