You are here

Share page with AddThis
Banner Max II

Banner Maxx II

Ultima atualização:
27.04.2017

Fungicida

Protecção de culturas

Authorisation Number: 
696
Embalagems: 
Embalagem de 5 L.
Composição: 
Fórmula: 
Concentrado para emulsão (EC)

O propiconazol actua ao nível da parede celular dos fungos, inibindo a biosíntese da ergosterol. Tem movimento sistémico ascendente nas folhas. Possui atividade preventiva e curativa.
A substância activa é absorvida pelas folhas em 15 minutos pelo que, passado este período de tempo, a sua actividade não é influenciada pela pluviosidade.
Intervalo entre tratamentos -14 dias.

Fungicida sistémico, indicado para o combate da sclerotinia, fusarioses, antracnose, fio vermelho, oídio, rizoctónia e ferrugem dos relvados.

Relvados

Doenças Dose (L/Ha) Recomendações
Sclerotínia (Sclerotium homeocarpa) 3,2 L/ha As aplicações devem iniciar-se preventivamente, ao aparecimento dos primeiros sintomas e quando as condições climáticas sejam favoráveis ao desenvolvimento das doenças.
Para evitar o desenvolvimento de resistências realizar no máximo 2 tratamentos, com este ou outro fungicida que contenha DMI por ciclo cultural. Alternar o uso deste produto com outros de diferentes modos de ação.
Fusarioses (Microdochium nivale, Fusarium spp.), complexo  de helmintosporiose (Bipolaris sp, Curvularia sp., Dreschlera sp., …)
Antracnose (Colletotrichum sp., Gloeosporium sp.)
Fio vermelho (Laetisaria sp, Corticium fuciforme)
Oídio (Oïdium sp.)
Rizoctónia (Rhizoctonia solani)
Ferrugem (Uromyces sp., Puccinia sp.)

Classificação, rotulagem e embalagem (CRE)

  • GHS07

  • GHS09

Avisos legais

Declarações de precaução

  • O BANNER MAXX II não deve ser aplicado nos locais onde comecem a verificar-se quebras de eficácia após as aplicações do produto ou de outros produtos com o mesmo modo de ação existentes no mercado.
  • Nocivo por ingestão.
  • Tóxico para os organismos aquáticos com efeitos duradouros.
  • Não comer, beber ou fumar durante a utilização deste produto.
  • EM CASO DE INGESTÃO: caso sinta indisposição, contacte um CENTRO DE INFORMAÇÃO ANTIVENENOS ou um médico.
  • Enxaguar a boca.
  • Recolher o produto derramado.
  • Eliminar o conteúdo/embalagem em local adequado à recolha de resíduos perigosos.
  • Ficha de segurança fornecida a pedido.
  • Contém propiconazol. Pode desencadear uma reação alérgica.
  • Não contaminar a água com este produto ou com a sua embalagem.
  • Para proteção dos organismos aquáticos, respeitar uma zona não pulverizada de 5 metros em relação às águas de superfície.
  • Impedir o acesso de pessoas às zonas tratadas durante 6h após aplicação.
  • Em caso de intoxicação contactar o Centro de Informação Antivenenos. Telef: 808 250 143
  • A embalagem vazia deverá ser lavada três vezes, fechada, inutilizada e colocada em sacos de recolha, devendo estes serem entregues num centro de receção Valorfito; as águas de lavagem deverão ser usadas na preparação da calda.

Modo de Preparação da Calda e Utilização

No recipiente onde se prepara a calda, deitar metade da água necessária. Agitar bem a embalagem até o produto ficar homogéneo. Numa vasilha juntar a quantidade de produto a utilizar com um pouco de água e agitar bem até obter uma mistura homogénea. Deitar esta mistura no recipiente e completar o volume de água, agitando sempre.

Para aplicação com barra de pulverização:

- Calibrar corretamente o equipamento, calculando o volume de calda gasto por ha, de acordo com o débito do pulverizador (L/min), da velocidade e largura de trabalho, com especial cuidado na uniformidade da distribuição da calda.
- A quantidade de produto e o volume de calda deve ser adequado à área de aplicação, respeitando as doses indicadas.
-Recomenda-se a utilização de bicos Syngenta XC com tecnologia anti-drift, que garantem pelo menos 79% de redução no arrastamento de calda durante a aplicação do produto.

  • Em caso de intoxicação contactar o Centro de Informação Antivenenos. Telef: 808 250 143

  • Protecção Integrada

    Segundo a Directiva do Uso Sustentável (Directiva 2009/128/CE) que foi transposta para a Lei nº 26/2013 (a 11 de Abril), é obrigatória a aplicação dos príncipios gerais da Proteção Integrada por todos os utilizadores profissionais. Cumpridos esses príncipios gerais, todos os produtos fitofarmacêuticos autorizados em Portugal, para o combate aos inimigos das culturas são passíveis de ser utilizados em Proteção Integrada.

    Intervalo de Segurança

    Cultura Intervalo de segurança (dias)
    Relvados ---

    L.M.R.

    Não se aplica