You are here

Share page with AddThis

Quadris Max

Ultima atualização:
07.03.2017

Fungicida

Protecção de culturas

Authorisation Number: 
3512
Embalagems: 
150 ml e 1 l.
Composição: 
Fórmula: 
Suspensão concentrada

Fungicida para o combate à Escoriose, ao Míldio, ao Oídio e ao Black Rot da videira, essencialmente vocacionado para os períodos em que o míldio é a principal doença visada.

Videira (uva de mesa)

Doenças Concentração
(ml / hl)
Recomendações
Escoriose
(Phomopsis viticola)
150

Realizar os tratamentos de acordo com os Serviços Nacional de Avisos Agrícolas, na falta destes, efetuar os tratamentos com Quadris MAX ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças.

Efetuar o 1º tratamento entre o gomo de algodão e a ponta verde e o 2º entre a saída das folhas e as 3 folhas livres. Utilizar pulverizadores de alto volume debitando entre 200 e 300 L/ha.

Videira (uva para vinificação)

Doenças Concentração
(ml / hl)
Recomendações
Escoriose
(Phomopsis viticola)
150

Realizar os tratamentos de acordo com os Serviços Nacional de Avisos Agrícolas, na falta destes, efetuar os tratamentos com Quadris MAX ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças.

Efetuar o 1º tratamento entre o gomo de algodão e a ponta verde e o 2º entre a saída das folhas e as 3 folhas livres. Utilizar pulverizadores de alto volume debitando entre 200 e 300 L/ha.

Míldio
(Plasmopara vitícola)

Oídio
(Erysiphe necator)

Black-Rot
(Guignardia bidwellii)

150

Efetuar os tratamentos de acordo com o Serviço Nacional de Avisos Agrícolas. No combate ao míldio e na falta deste serviço, iniciar os tratamentos a partir das 7-8 folhas. Os tratamentos seguintes deverão ser realizados quando as condições climatéricas favorecerem o desenvolvimento da doença.

Realizar no máximo 3 tratamentos no conjunto das doenças com este produto, ou com qualquer outro que contenha QoI. A persistência biológica do produto é de 12 dias, reduzindo para 10 dias em condições de chuva e maior pressão da doença.

Quando realiza um tratamento de combate ao míldio protege simultaneamente do oídio e black-rot. Utilizar pulverizadores de alto volume, usando, a partir do pleno desenvolvimento vegetativo 1000 L/ha, de modo a aplicar 1,5 L/ha.

Classificação, rotulagem e embalagem (CRE)

  • GHS07

  • GHS08

  • GHS09

Avisos legais

Declarações de precaução

  • O Quadris Max não deve ser aplicado em locais onde se comecem a verificar quebras de eficácia após as aplicações do produto ou de outros produtos com o mesmo modo de acção, existentes no mercado. Para evitar o desenvolvimento de resistências, não aplicar este produto ou qualquer outro que contenha QoI mais do que 3 vezes por ciclo cultural
  • Os tratamentos devem ser realizados em sequência de 2 aplicações ou intercaladas com fungicidas de outro grupo químico, como o RIDOMIL GOLD Combi pepite technology, o PERGADO F, o Talendo e o TOPAZE.
  • Em vinhas para a produção de aguardente, não aplicar o produto após o fecho dos cachos.
  • Pode provocar necroses sobre os bagos de certas castas de uva se aplicado em mistura com insecticidas ou fungicidas IBE formulados em concentrados para emulsão.
  • Em algumas castas e em determinadas condições climáticas poderá, eventualmente, ocorrer uma ligeira descoloração das folhas que é transitória e não afecta o normal desenvolvimento das plantas.
  • O Quadris Max poderá afectar algumas cultivares de macieira, devendo portanto evitar-se o arrastamento da calda para pomares de macieira vizinhos e não utilizar o mesmo pulverizador.
  • Nocivo por ingestão.
  • Nocivo por inalação.
  • Suspeito de provocar cancro.
  • Muito tóxico para os organismos aquáticos com efeitos duradouros.
  • Pedir instruções específicas antes da utilização.
  • Não comer, beber ou fumar durante a utilização deste produto.
  • Usar luvas e vestuário de proteção, durante a preparação da calda e aplicação do produto.
  • EM CASO DE INALAÇÃO: retirar a vítima para uma zona ao ar livre e mantê-la em repouso numa posição que não dificulte a respiração.
  • EM CASO DE exposição ou suspeita de exposição: consulte um médico.
  • Recolher o produto derramado.
  • Eliminar o conteúdo/embalagem em local adequado à recolha de resíduos perigosos.
  • Ficha de segurança fornecida a pedido.
  • Contém folpete. Pode desencadear uma reação alérgica.
  • Não contaminar a água com este produto ou com a sua embalagem.
  • Para proteção dos organismos aquáticos, respeitar uma zona não pulverizada de 15 metros em relação às águas de superfície.
  • Após o tratamento lavar cuidadosamente o material de proteção e os objetos contaminados. Lavar também as luvas por dentro.
  • Intervalo de Segurança: 42 dias em videira de uvas para vinificação.
  • Em caso de intoxicação contactar o Centro de Informação Antivenenos. Tel: 808 250 143
  • A embalagem vazia deverá ser lavada três vezes, fechada, inutilizada e colocada em sacos de recolha, devendo estes serem entregues num centro de recepção valorfito; as águas de lavagem deverão ser usadas na preparação da calda.

Modo de Preparação da Calda e Utilização

No recipiente onde se prepara a calda, deitar metade da água necessária. Agitar bem a embalagem até o produto ficar homogéneo. Numa vasilha, juntar a quantidade de produto a utilizar com um pouco de água e agitar bem até obter uma mistura homogénea. Deitar esta mistura no recipiente e completar o volume de água, agitando sempre.

Calibrar correctamente o equipamento, assegurando a uniformidade na distribuição de calda no alvo biológico pretendido.

Calcular o volume de calda gasto por ha em função do débito do pulverizador (L/min), da velocidade e largura de trabalho (distância entrelinhas).

Nas fases iniciais de desenvolvimento das culturas aplicar a calda com a concentração indicada. Em pleno desenvolvimento vegetativo, adicionar a quantidade de produto proporcionalmente ao volume de água distribuído por ha, pelo pulverizador, de forma a respeitar a dose.

Volume de calda a utilizar: 200 a 300L/ha no controlo de escoriose; 500-1000L/ha de míldio, oídio e black-rot.

  • Em caso de intoxicação contactar o Centro de Informação Antivenenos. Tel: 808 250 143

  • Protecção Integrada

    Segundo a Directiva do Uso Sustentável (Directiva 2009/128/CE) que foi transposta para a Lei nº 26/2013 (a 11 de Abril), é obrigatória a aplicação dos príncipios gerais da Protecção Integrada por todos os utilizadores profissionais. Cumprido esses príncipios gerais, todos os produtos fitofarmacêuticos autorizados em Portugal, para o combate aos inimigos das culturas são passíveis de ser utilizados em Protecção Integrada.

    Intervalo de Segurança

    Cultura Intervalo de Segurança (dias)
    Videira

    - uva para vinificação

    42

    L.M.R.

    Informação relativa aos LMRs, consultar a informação na página oficial da EU:: http://ec.europa.eu/sanco_pesticides/public/index.cfm