You are here

Share page with AddThis
Ridomil Gold MZ Pepite

Ridomil Gold MZ Pepite

Ultima atualização:
08.12.2016

Fungicida

Protecção de culturas

Número de autorização: 
0525
Embalagems: 
250 g.
1 kg.
5 kg.
Composição: 
Fórmula: 
Grânulos dispersíveis em água (pepite)

Fungicida sistémico e de contacto indicado para combater os vários tipos de míldio nas culturas mencionadas e black-rot na vinha. Possui efeito preventivo, curativo e anti-esporulante e está formulado na inovadora formulação pepite que proporciona maior segurança para o aplicador e para o meio ambiente, maior facilidade de utilização e máxima eficiência das substâncias activas.

Alface (ar livre)

Doenças Concentração
(g / hl)
Recomendações
Míldio 250 Aplicar o produto preventivamente, logo que as plantas atinjam o estado de 3-4 folhas verdadeiras ou imediatamente após o aparecimento dos primeiros sintomas da doença.

A persistência biológica do produto é de 12-14 dias, sendo o intervalo mais curto usado em condições de maior risco (chuvas constantes, alta pressão da doença). Realizar no máximo 2 tratamentos anuais com este ou outro fungicida do grupo das fenilamidas. Nos restantes tratamentos, devem utilizar-se fungicidas anti-míldio com diferente modo de acção.

Nota: As concentrações indicadas têm como base aplicações em alto volume (1000 l/ha).

Batateira

Doenças Concentração
(g / hl)
Recomendações
Míldio 250 Os tratamentos, devem realizar-se de acordo com as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas. Na sua ausência, os tratamentos devem ser realizados preventivamente, no período de crescimento activo da cultura, ou seja, até à floração, e, procurando molhar convenientemente as plantas. A persistência biológica do produto é de 10 a 12 dias, sendo o intervalo mais curto usado em condições de maior risco (chuvas constantes, alta pressão da doença) e quando o tratamento seguinte não tem acção curativa.

Realizar no máximo 2 tratamentos anuais com este ou outro fungicida do grupo das fenilamidas. Nos restantes tratamentos, devem utilizar-se fungicidas anti-míldio com diferente modo de acção.

Nota: As concentrações indicadas têm como base aplicações em alto volume (1000 l/ha).

Cebola

Doenças Concentração
(g / hl)
Recomendações
Míldio 250 Iniciar os tratamentos preventivamente, no período de crescimento activo da cultura e de maior incidência da doença, a intervalos de 10 a 12 dias, sendo o intervalo mais curto usado em condições de maior risco (chuvas constantes, alta pressão da doença).

Realizar no máximo 2 tratamentos anuais com este ou outro fungicida do grupo das fenilamidas. Nos restantes tratamentos, devem utilizar-se fungicidas anti-míldio com diferente modo de acção.

Nota: As concentrações indicadas têm como base aplicações em alto volume (1000 l/ha).

Meloeiro (ar livre)

Doenças Concentração
(g / hl)
Recomendações
Míldio 250 Aplicar o produto preventivamente, logo que as plantas atinjam o estado de 3-4 folhas verdadeiras ou imediatamente após o aparecimento dos primeiros sintomas das doenças.

A persistência biológica do produto é de 10 dias. Realizar no máximo 2 tratamentos anuais, por cultura, com este ou outro fungicida do grupo das fenilamidas. Nos restantes tratamentos, devem utilizar-se fungicidas anti-míldio com diferente modo de acção

Nota: As concentrações indicadas têm como base aplicações em alto volume (1000 l/ha).

Pepino (ar livre)

Doenças Concentração

(g / hl)
Recomendações
Míldio 250 Aplicar o produto preventivamente, logo que as plantas atinjam o estado de 3-4 folhas verdadeiras ou imediatamente após o aparecimento dos primeiros sintomas das doenças.

A persistência biológica do produto é de 10 dias. Realizar no máximo 2 tratamentos anuais, por cultura, com este ou outro fungicida do grupo das fenilamidas. Nos restantes tratamentos, devem utilizar-se fungicidas anti-míldio com diferente modo de acção

Nota: As concentrações indicadas têm como base aplicações em alto volume (1000 l/ha).

Tomateiro (ar livre)

Doenças Concentração

(g / hl)
Recomendações
Míldio 250 Os tratamentos com RIDOMIL GOLD MZ Pépite devem ser feitos no local definitivo, até à época da floração, sempre que o tempo decorra húmido e chuvoso. A persistência biológica do produto é de 10 a 12 dias, sendo o intervalo mais curto usado em condições de maior risco (chuvas constantes, alta pressão da doença) e quando o tratamento seguinte não tem acção curativa. Realizar no máximo 2 tratamentos anuais com este ou outro fungicida do grupo das fenilamidas. Nos restantes tratamentos, devem utilizar-se fungicidas anti-míldio com diferente modo de acção.

Nota: As concentrações indicadas têm como base aplicações em alto volume (1000 l/ha).

Videira

Doenças Concentração
(g / hl)
Recomendações
Míldio 250 Dada a época de aplicação para míldio e black-rot ser coincidente, recomenda-se uma estratégia de protecção conjunta para as 2 doenças.

Os tratamentos, devem realizar-se de acordo com as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas. Na sua ausência, devem ser realizados preventivamente, isto é, devem começar ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças, desde a fase de folhas livres até à ao estado de bago grão de chumbo. A persistência biológica do produto é de 12 a 14 dias, devendo o intervalo após um tratamento com este produto e um não curativo ser de 12 dias, assim como em condições de maior risco (chuvas constantes, alta pressão da doença).

Realizar no máximo 2 tratamentos anuais no conjunto das doenças, com este ou outro fungicida do grupo das fenilamidas. Nos restantes tratamentos, devem utilizar-se fungicidas anti-míldio com diferente modo de acção.
Black Rot

Nota: As concentrações indicadas têm como base aplicações em alto volume (1000 l/ha).

Classificação, rotulagem e embalagem (CRE)

  • GHS09

  • GHS08

  • GHS07

Avisos legais

Declarações de precaução

  • Não se deve aplicar este produto nos locais onde se verifiquem quebras de eficácia após a aplicação repetida do mesmo.
  • Para evitar o desenvolvimento de resistências realizar no máximo 2 aplicações anuais, por cultura, com este ou outro fungicida do grupo químico das fenilamidas.
  • Pode provocar uma reacção alérgica cutânea.
  • Suspeito de afetar o nascituro.
  • Muito tóxico para os organismos aquáticos com efeitos duradouros.
  • Pedir instruções específicas antes da utilização.
  • Usar luvas de protecção/vestuário de protecção/protecção ocular/protecção facial.
  • SE ENTRAR EM CONTACTO COM A PELE: lavar com sabonete e água abundantes.
  • EM CASO DE exposição ou suspeita de exposição: consulte um médico.
  • Recolher o produto derramado.
  • Eliminar o conteúdo de forma apropriada.
  • Não contaminar a água com este produto ou com a sua embalagem.
  • Para protecção dos organismos aquáticos, respeitar uma zona não pulverizada em relação às águas de superfície de 5 metros em hortícolas e 15 metros em vinha.
  • Depois da utilização do produto, lavar todo o vestuário de protecção.
  • Impedir o acesso das pessoas à área tratada, até secagem do pulverizado, ou usar luvas e vestuário de protecção adequado.
  • Intervalo de segurança: 3 dias em meloeiro (ar livre), pepino (ar livre) e tomateiro (ar livre); 14 dias em batateira e 28 dias em alface (ar livre), cebola, videira. Não ultrapassar o nº máximo de aplicações indicado, para a cultura em causa, com este ou outros produtos com substâncias activas do grupo dos ditiocarbamatos (mancozebe, metirame, propinebe, tirame ou zirame).
  • Centro de informação anti-venenos: 808 250 143

Modo de Preparação da Calda e Utilização

No recipiente onde se prepara a calda deitar cerca de metade da água necessária. Juntar a quantidade de produto a utilizar e completar o volume de água agitando sempre.

Para aplicação com barra de pulverização em culturas baixas:

Calibrar correctamente o equipamento, calculando o volume de calda gasto por ha, de acordo com o débito do pulverizador (L/min), da velocidade e largura de trabalho, com especial cuidado na uniformidade da distribuição de calda.

A quantidade de produto e o volume de calda deve ser adequado à área de aplicação, respeitando as doses indicadas.

Para aplicação em culturas arbustivas e arbóreas:

Calibrar correctamente o equipamento, assegurando a uniformidade na distribuição de calda no alvo biológico pretendido.

Calcular o volume de calda gasto por ha em função do débito do pulverizador (L/min), da velocidade e largura de trabalho (distância entrelinhas).

Nas fases iniciais de desenvolvimento das culturas aplicar a calda com a concentração indicada. Em pleno desenvolvimento vegetativo, adicionar a quantidade de produto proporcionalmente ao volume de água distribuído por ha, pelo pulverizador, de forma a respeitar a dose.

  • Centro de informação anti-venenos: 808 250 143

  • Protecção Integrada

    Segundo a Directiva do Uso Sustentável (Directiva 2009/128/CE) que foi transposta para a Lei nº 26/2013 (a 11 de Abril), é obrigatória a aplicação dos príncipios gerais da Protecção Integrada por todos os utilizadores profissionais. Cumprido esses príncipios gerais, todos os produtos fitofarmacêuticos autorizados em Portugal, para o combate aos inimigos das culturas são passíveis de ser utilizados em Protecção Integrada.

    Intervalo de Segurança

    Cultura Intervalo de Segurança (dias)
    Videira 28 – uvas para mesa
    Videira 56 – uvas para vinho
    Alface 28 – ar livre (O intervalo entre aplicações não pode ser inferior a 2 semanas)
    35 – estufa (O intervalo entre aplicações não pode ser inferior a 2 semanas)
    Meloeiro 3
    Pepino 7
    Batateira 14
    Tomateiro (ar livre) 3 – consumo em fresco
    28 – tomate para indústria
    Cebola 28
    Couve-repolho 21
    Couve-brócolo
    Couve-flor
    28
    Tabaco 35
    Melancia 3
    Couve Frisada (Couve Portuguesa e Couve Galega) 28
    Salsa 21
    Salsa de raíz grossa 28
    Papoila dormidera --

    L.M.R.

    Informação relativa aos LMRs, consultar a informação na página oficial da EU:: http://ec.europa.eu/sanco_pesticides/public/index.cfm