You are here

Share page with AddThis

Callisto

Ultima atualização:
27.04.2017

Herbicida

Protecção de culturas

Authorisation Number: 
21
Embalagems: 
250 ml, 1 L, 5 L e 20 L.
Composição: 
Fórmula: 
Suspensão concentrada

Herbicida de absorção foliar e radicular e com acção residual para aplicação em pós-emergência do milho, indicado para combater as principais infestantes de folha larga, milhãs e ciperáceas.

Milho

Época de aplicação Dose
(l/ha)
Recomendações
Pós-emergência 0,75 Dicotiledóneas quando tiverem 2 a 4 folhas.
1,0 Milhãs (Digitaria sanguinalis e Echinochloa crus-galli), quando tiverem 2 a 4 folhas
1,5 Milhãs (Digitaria sanguinalis e Echinochloa crus-galli), desde as 5 folhas até ao afilhamento.
Junças (Cyperus esculentus e Cyperus rotundus), quando tiverem 2 a 4 folhas.

Classificação, rotulagem e embalagem (CRE)

  • GHS07

  • GHS09

Avisos legais

Declarações de precaução

  • Durante a aplicação não atingir terrenos e culturas vizinhas da área a tratar.
  • O Callisto não deverá ser aplicado com o milho em más condições vegetativas ou com temperaturas inferiores a 10º C.
  • A aplicação repetida de Callisto ou de herbicidas com o mesmo modo de acção pode provocar o desenvolvimento de biótopos resistentes de algumas infestantes indicadas no rótulo como susceptíves. Recomenda-se proceder à rotação de culturas sempre que possível e não aplicar o Callisto mais do que 3 anos consecutivos nos mesmos solos. De preferência, proceder à alternância com outros herbicidas de diferente modo de acção.
  • Após a aplicação de Callisto, pode-se proceder à instalação, no Outono seguinte, das culturas de trigo mole, trigo duro, cevada e colza e, na Primavera seguinte, culturas de batateira, beterraba-sacarina, beterraba-forrageira, cebola, espinafres, ervilheira, feijoeiro, girassol, luzerna e soja, após mobilização do solo. Deverão mediar 24 meses para uma cultura de faveira.
  • Quando for necessário fazer uma cultura de substituição, pode-se voltar a semear o milho.
  • Não se deve aplicar em campos de multiplicação de milho, em milho doce ou em milho para pipocas.
  • Provoca irritação ocular grave.
  • Muito tóxico para os organismos aquáticos com efeitos duradouros.
  • Não comer, beber ou fumar durante a utilização deste produto.
  • Usar luvas de proteção/vestuário de proteção/proteção ocular/proteção facial.
  • SE ENTRAR EM CONTACTO COM OS OLHOS: enxaguar cuidadosamente com água durante vários minutos. Se usar lentes de contacto, retire-as, se tal lhe for possível. Continuar a enxaguar.
  • Caso a irritação ocular persista: consulte um médico.
  • Recolher o produto derramado.
  • Eliminar o conteúdo/embalagem em local adequado è recolha de resíduos perigosos.
  • Ficha de segurança fornecida a pedido.
  • Não contaminar a água com este produto ou com a sua embalagem.
  • Para proteção dos organismos aquáticos respeitar uma zona não pulverizada de 5 metros em relação às águas de superfície.
  • Depois da utilização do produto, lavar todo o vestuário de proteção.
  • Em caso de intoxicação, contactar o Centro de Informação Antivenenos. Telef: 808 250 143
  • A embalagem vazia deverá ser lavada três vezes, fechada, inutilizada e colocada em sacos de recolha, devendo estes serem entregues num centro de recepção valorfito; as águas de lavagem deverão ser usadas na preparação da calda.

Modo de Preparação da Calda e Utilização

A calda deve ser preparada directamente no depósito do pulverizador, procedendo da seguinte forma : colocar água até 1/3 da sua capacidade; pôr o agitador em funcionamento; deitar a quantidade de produto necessária, após retirar o filtro da “boca” do pulverizador ; completar o volume de água, agitando sempre.

Não utilizar atomizadores na aplicação deste produto. Por via terrestre, a quantidade de água a utilizar deve ser de 200 a 400 l/ha, usando pulverizadores suspensos ou acoplados ao tractor.

Depois dos tratamentos, lavar o material com detergente e passar várias vezes com água, depois da prévia remoção dos bicos e dos crivos que devem ser lavados separadamente.

  • Em caso de intoxicação, contactar o Centro de Informação Antivenenos. Telef: 808 250 143

  • Protecção Integrada

    Segundo a Directiva do Uso Sustentável (Directiva 2009/128/CE) que foi transposta para a Lei nº 26/2013 (a 11 de Abril), é obrigatória a aplicação dos príncipios gerais da Protecção Integrada por todos os utilizadores profissionais. Cumprido esses príncipios gerais, todos os produtos fitofarmacêuticos autorizados em Portugal, para o combate aos inimigos das culturas são passíveis de ser utilizados em Protecção Integrada.

    Intervalo de Segurança

    Cultura Intervalo de Segurança (dias)
    Milho Não se aplica
    Papoila dormideira Não se aplica

    L.M.R.

    Informação relativa aos LMRs, consultar a informação na página oficial da EU: http://ec.europa.eu/food/plant/pesticides/eu-pesticides-database/public/?event=activesubstance.selection&language=EN