You are here

Share page with AddThis

Actara

Ultima atualização:
08.10.2018

Insecticida

Proteção de culturas

Authorisation Number: 
339
Pack size: 
4 g
100 g
1 kg
Composition: 
Formulation: 
Grânulos dispersíveis em água

O ACTARA® 25 WG para aplicação foliar e via água de rega, com base na substância ativa tiametoxame é um inseticida sistémico que atua por contacto e ingestão, pertence ao grupo dos neonicotinóides, antagonistas dos recetores nicotínicos da acetilcolina, atuando ao nível do sistema nervoso dos insetos.

Alface (ar livre e estufa)

Afídeos (Acyrthosiphon lactucae, Aulacorthum solani, Acyrthosiphon scariolae, Myzus persicae, Nasonovia ribisnigri)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

Aplicação por Pulverização Foliar: 40 g/hL

Aplicação na Água de Rega: 600g/ha

Aplicação por Pulverização Foliar:
Aplicar no início da infestação.
- AR LIVRE: máximo 2 aplicação por ciclo cultural
- ESTUFA: máximo 1 aplicação por ciclo cultural.

Aplicação na Água de Rega:
Aplicar ao aparecimento da praga (máximo uma aplicação por ciclo cultural).

7 dias (Aplicação por Pulverização Foliar)
3 dias (Aplicação na Água de Rega)

Afídeos (Nasonovia ribsnigri)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

Aplicação nos Tabuleiros de Viveiros de Culturas Hortícolas.

Imersão tabuleiros: 10 (Dose (g/1000 plantas))
Regador: 20 (Dose (g/1000 plantas))

Aplicação nos Tabuleiros de Viveiros de Culturas Hortícolas.

Aplicar ao aparecimento da praga. 1 aplicação em tabuleiros de viveiros, 2 a 0 dias antes da transplantação da cultura, para posterior efeito no campo, utilizando um regador para aplicações dirigidas ao substrato ou por imersão dos tabuleiros numa calda preparada previamente, molhando até à altura do caule e até deixar de produzir bolhas de ar (ver Modo de Aplicação)

-

Batateira

Afídeos (Myzus spp., Aphis spp, Aulacorthum solani, Macrosiphum euphorbiae)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

80 g/ha

Aplicação por Pulverização Foliar.

Aplicar no início da infestação e repetir se necessário (máximo duas aplicações por ciclo cultural para o conjunto dos inimigos).

7 dias

Escaravelho (Leptinotarsa decemlineata)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

80 g/ha

Aplicação por Pulverização Foliar.

Aplicar no início do aparecimento das larvas e repetir se necessário (máximo duas aplicações por ciclo cultural para o conjunto dos inimigos).

7 dias

Beringela (ar livre e estufa)

Afídeos (Aphis gossypii, Myzus persicae)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

20 g/hL

Aplicação por Pulverização Foliar.

Aplicar no início da infestação (máximo duas aplicações por ciclo cultural para o conjunto dos inimigos).

3 dias

Mosca branca (Trialeurodes vaporariorum, Bemisia tabaci)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

30 g/hL

Aplicação por Pulverização Foliar.

Aplicar no início da infestação, repetindo o tratamento, após sete dias, se necessário (máximo duas aplicações por ciclo cultural para o conjunto dos inimigos).

3 dias

Cerejeira

Afídeos (Myzus cerasi)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

20-30 g/hL

Aplicação por Pulverização Foliar.

Aplicar apenas após a floração, ao início da infestação. Repetir se necessário. Utilizar a dose superior em situações de forte pressão da praga (máximo duas aplicações por ciclo cultural).

7 dias

Citrinos (Laranjeiras, Limoeiros, Mandarinas)

Afídeos (Aphis spp., Myzus spp., Toxoptera aurantii)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

12 g/hL

Aplicação por Pulverização Foliar.

Aplicar apenas após a floração, ao início da infestação. Máximo 1 aplicação por ciclo cultural, para o conjunto dos inimigos.

28 dias

Mineira das folhas dos rebentos dos citrinos (Phyllocnistis citrella)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

30 g/hL

Aplicação por Pulverização Foliar.

Aplicar apenas após a floração, quando se observarem os primeiros sinais da praga em folhas novas dos lançamentos em crescimento. Máximo 1 aplicação por ciclo cultural, para o conjunto dos inimigos.

28 dias

Couve-brócolo (ar livre e estufa)

Afídeos (Brevycorine brassicae)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

Aplicação nos Tabuleiros de Viveiros de Culturas Hortícolas.

Imersão tabuleiros: 10 (Dose (g/1000 plantas))
Regador: 20 (Dose (g/1000 plantas))

Aplicação nos Tabuleiros de Viveiros de Culturas Hortícolas.

Aplicar ao aparecimento da praga. 1 aplicação em tabuleiros de viveiros, 2 a 0 dias antes da transplantação da cultura, para posterior efeito no campo, utilizando um regador para aplicações dirigidas ao substrato ou por imersão dos tabuleiros numa calda preparada previamente, molhando até à altura do caule e até deixar de produzir bolhas de ar (ver Modo de Aplicação).

-

Couve-brócolo (ar livre)

Afídeos (Brevycorine brassicae, Lipaphis erysimi, Myzus persicae)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

40 g/hL

Aplicação por Pulverização Foliar.

Aplicar no início da infestação (máximo duas aplicações por ciclo cultural).

3 dias

Feijoeiro (ar livre e estufa)

Mosca branca (Trialeurodes vaporariorum, Bemisia tabaci)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

Aplicação por Pulverização Foliar.: 40 g/hL

Aplicação na Água de Rega (estufa): 800 g/ha

Aplicação por Pulverização Foliar:
Aplicar no início da infestação, repetindo o tratamento, após sete dias, se necessário. Ao ar livre aplicar apenas após a floração (máximo duas aplicações por ciclo cultural).

Aplicação na Água de Rega (estufa):
Aplicar ao aparecimento da praga. Efetuar uma única aplicação ou repartir em duas aplicações de 400g/ha cada, com 7 dias de intervalo.

3 dias

Macieira

Afídeos (Dysaphis plantaginea, Macrosiphum euphorbiae, Myzus persicae, Rhopalosiphum insertum, Aphis spp.)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

20-30 g/hL

Aplicação por Pulverização Foliar.

Aplicar apenas após a floração, ao início da infestação. Repetir se necessário. Usar a dose mais elevada em situações de elevada pressão da praga (máximo duas aplicações por ciclo cultural para o conjunto dos inimigos).

14 dias

Pulgão lanígero (Eriosoma lanigerum)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

30 g/hL

Aplicação por Pulverização Foliar.

Aplicar apenas após a floração. Repetir se necessário (máximo duas aplicações por ciclo cultural para o conjunto dos inimigos).

14 dias

Meloeiro (ar livre e estufa)

Afídeos (Aphis gossypii, Myzus persicae)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

10 g/hL

Aplicação por Pulverização Foliar.

Aplicar no início da infestação e repetir se necessário. Ao ar livre aplicar apenas após a floração (máximo duas aplicações por ciclo cultural para o conjunto dos inimigos).

3 dias

Mosca branca (Trialeurodes vaporariorum, Bemisia tabaci)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

30 g/hL

Aplicação por Pulverização Foliar.

Aplicar no início da infestação, repetindo o tratamento, após sete dias, se necessário. Ao ar livre aplicar apenas após a floração (máximo duas aplicações por ciclo cultural para o conjunto dos inimigos).

3 dias

Morangueiro (ar livre e estufa)

Afídeos (Aphis spiraecola, Aphis fabae, Aphis gossypii, Myzus persicae)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

200 g/ha

Aplicação na Água de Rega.

Aplicar no início da infestação, repetindo o tratamento, após sete dias, se necessário. Ao ar livre aplicar apenas após a floração (máximo duas aplicações por ciclo cultural).

1 dia

Pepino

Mosca branca (Bemisia tabaci) e Larva mineira (Liriomyza sp.)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

Aplicação nos Tabuleiros de Viveiros de Culturas Hortícolas.

Imersão tabuleiros: 10 (Dose (g/1000 plantas))
Regador: 20 (Dose (g/1000 plantas))

Aplicação nos Tabuleiros de Viveiros de Culturas Hortícolas.

Aplicar ao aparecimento da praga. 1 aplicação em tabuleiros de viveiros, 2 a 0 dias antes da transplantação da cultura, para posterior efeito no campo, utilizando um regador para aplicações dirigidas ao substrato ou por imersão dos tabuleiros numa calda preparada previamente, molhando até à altura do caule e até deixar de produzir bolhas de ar (ver Modo de Aplicação)

-

Pepino (ar livre e estufa)

Afídeos (Aphis gossypii)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

20 g/hL

Aplicação por Pulverização Foliar.

Aplicar no início da infestação. Ao ar livre aplicar apenas após a floração (máximo duas aplicações por ciclo cultural para o conjunto dos inimigos).

3 dias

Mosca branca (Trialeurodes vaporariorum, Bemisia tabaci)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

30 g/hL

Aplicação por Pulverização Foliar.

Aplicar no início da infestação, repetindo o tratamento, após sete dias, se necessário. Ao ar livre aplicar apenas após a floração (máximo duas aplicações por ciclo cultural para o conjunto dos inimigos).

3 dias

Pereira

Afídeos (Dysaphis plantaginea, Macrosiphum euphorbiae, Myzus persicae, Rhopalosiphum insertum, Aphis spp.)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

20-30 g/hL

Aplicação por Pulverização Foliar.

Aplicar apenas após a floração, ao início da infestação. Repetir se necessário. Usar a dose mais elevada em situações de elevada pressão da praga (máximo duas aplicações por ciclo cultural para o conjunto dos inimigos).

14 dias

Psila (Cacopsylla pyri)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

30 g/hL

Aplicação por Pulverização Foliar.

Aplicar apenas após a floração ao início da infestação. Repetir se necessário (máximo duas aplicações por ciclo cultural para o conjunto dos inimigos).

14 dias

Pessegueiro

Afídeos (Hyalopterus pruni, Brachycaudus spp., Myzus persicae)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

10 g/hL

Aplicação por Pulverização Foliar.

Aplicar apenas após a floração, ao início da infestação. Repetir se necessário (máximo duas aplicações por ciclo cultural).

14 dias

Pimenteiro (ar livre e estufa)

Afídeos (Myzus persicae)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

Aplicação por Pulverização Foliar: 10 g/hL

Aplicação por Pulverização Foliar

Aplicar no início da infestação repetindo o tratamento se necessário. Ao ar livre aplicar apenas após a floração (máximo duas aplicações por ciclo cultural para o conjunto dos inimigos).

3 dias

Afídeos (Myzus persicae, Macrosiphum euphorbiae)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

Aplicação na Água de Rega

400 g/ha

Aplicação na Água de Rega

Aplicar ao aparecimento da praga. Para o pimenteiro ao ar livre, aplicar apenas após a floração (máximo duas aplicações por ciclo cultural para o conjunto dos inimigos).

3 dias

Mosca branca (Trialeurodes vaporariorum, Bemisia tabaci)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

Aplicação por Pulverização Foliar: 30 g/hL

Aplicação na Água de Rega: 800 g/ha

Aplicação por Pulverização Foliar:
Aplicar no início da infestação, repetindo o tratamento, após sete dias, se necessário. Ao ar livre aplicar apenas após a floração (máximo duas aplicações por ciclo cultural para o conjunto dos inimigos).

Aplicação na Água de Rega:
Aplicar ao aparecimento da praga. Efetuar uma única aplicação ou repartir em duas aplicações de 400g/ha cada, com 7 dias de intervalo, para o conjunto dos inimigos. Para o pimenteiro ao ar livre, aplicar apenas após a floração.

3 dias

Pimento (estufa)

Mosca branca (Bemisia tabaci), Larva mineira (Liriomyza sp.) e Alfinetes (Agriotes sp.)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

Aplicação nos Tabuleiros de Viveiros de Culturas Hortícolas.

Imersão tabuleiros: 10 (Dose (g/1000 plantas))
Regador: 20 (Dose (g/1000 plantas))

Aplicação nos Tabuleiros de Viveiros de Culturas Hortícolas

Aplicar ao aparecimento da praga. 1 aplicação em tabuleiros de viveiros, 2 a 0 dias antes da transplantação da cultura, para posterior efeito no campo, utilizando um regador para aplicações dirigidas ao substrato ou por imersão dos tabuleiros numa calda preparada previamente, molhando até à altura do caule e até deixar de produzir bolhas de ar (ver Modo de Aplicação).

-

Tomateiro (ar livre e estufa)

Afídeos (Myzus persicae, Macrosiphum euphorbiae)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

Aplicação por Pulverização Foliar: 10 g/hL

Aplicação na Água de Rega: 400 g/ha

Aplicação por Pulverização Foliar:
Aplicar no início da infestação e repetir se necessário (máximo duas aplicações por ciclo cultural para o conjunto dos inimigos).

Aplicação na Água de Rega:
Aplicar ao aparecimento da praga. Para o pimenteiro ao ar livre, aplicar apenas após a floração (máximo duas aplicações por ciclo cultural para o conjunto dos inimigos).

3 dias

Mosca branca (Bemisia tabaci), Larva mineira (Liriomyza sp.) e Alfinetes (Agriotes sp.)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

Aplicação nos Tabuleiros de Viveiros de Culturas Hortícolas.

Imersão tabuleiros: 10 (Dose (g/1000 plantas))
Regador: 20 (Dose (g/1000 plantas))

Aplicação nos Tabuleiros de Viveiros de Culturas Hortícolas.

Aplicar ao aparecimento da praga. 1 aplicação em tabuleiros de viveiros, 2 a 0 dias antes da transplantação da cultura, para posterior efeito no campo, utilizando um regador para aplicações dirigidas ao substrato ou por imersão dos tabuleiros numa calda preparada previamente, molhando até à altura do caule e até deixar de produzir bolhas de ar (ver Modo de Aplicação).

-

Mosca branca (Trialeurodes vaporariorum, Bemisia tabaci)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

Aplicação por Pulverização Foliar: 30 g/hL

Aplicação na Água de Rega: 800g/ha

Aplicação por Pulverização Foliar:
Aplicar no início da infestação, repetindo o tratamento, após sete dias, se necessário (máximo duas aplicações por ciclo cultural para o conjunto dos inimigos).

Aplicação na Água de Rega:
Aplicar ao aparecimento da praga. Efetuar uma única aplicação ou repartir em duas aplicações de 400g/ha cada, com 7 dias de intervalo, para o conjunto dos inimigos. Para o pimenteiro ao ar livre, aplicar apenas após a floração.

3 dias

Videira

Cicadelideo da flavescência dourada (Scaphoideus titanus)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

150 g/ha

Aplicação por Pulverização Foliar.

Aplicar apenas após a floração ao início da infestação, repetindo o tratamento, após
21-29 dias, se necessário (máximo duas aplicações por ciclo cultural para o conjunto dos inimigos).

21 dias

Cigarrinha-verde (Empoasca decipiens, Empoasca pteridis, Empoasca vitis, Jacobiasca lybica)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

100-200 g/ha

Aplicação por Pulverização Foliar.

Aplicar apenas após a floração, e quando se observem 100 larvas em 100 folhas, e a partir de Julho aplicar quando se observem 50 larvas em 100 folhas (máximo duas aplicações por ciclo cultural para o conjunto dos inimigos).

21 dias

Classificação, rotulagem e embalagem (CRE)

  • GHS09

Avisos legais

Declarações de precaução

  • O número máximo de aplicações de produtos com base em substâncias ativas do grupo dos neonicotinóides, não pode ser superior a duas para o total das finalidades, e por ciclo cultural, com o fim de se evitar o aparecimento de resistência.
  • O ACTARA 25 WG, aplicado em água de rega, pode ser utilizado apenas uma vez (ou duas quando repartida a dose em dois tratamentos com metade da dose cada, com 7 dias de intervalo) e não utilizar, no mesmo ciclo cultural mais nenhum produto com o mesmo modo de acção.
  • O ACTARA 25 WG, aplicado via foliar, pode ser usado em aplicações consecutivas (máximo duas), desde que o tempo decorrido entre a primeira aplicação e 15 dias após a segunda não seja superior a metade do ciclo da cultura e não abranja mais que uma geração consecutiva da praga.
  • A aplicação do produto deve ser feita evitando as horas mais quentes do dia ou aquelas em que a folhagem se encontre molhada.
  • Durante a aplicação não atingir as culturas e terrenos vizinhos.
  • Muito tóxico para os organismos aquáticos com efeitos duradouros.
  • Evitar a libertação para o ambiente
  • Recolher o produto derramado.
  • Eliminar o conteúdo de forma apropriada.
  • Não contaminar a água com este produto ou com a sua embalagem.
  • Para protecção dos organismos aquáticos, não aplicar em terrenos agrícolas adjacentes a águas de superfície.
  • Perigoso para as abelhas. Para protecção das abelhas e de outros insectos polinizadores, não aplicar este produto durante a floração das culturas. Não aplicar este produto na presença de infestantes em floração.
  • Intervalo de segurança - 1 dia em morangueiro; 3 dias em alface (injecção de calda no sistema de rega), feijão verde, beringela, couve-brócolo (apenas ar livre), meloeiro, pepino, pimenteiro e tomateiro; 7 dias em alface (aplicação foliar), batateira e cerejeira; 14 dias em , macieira, pereira, pessegueiro e videira; 28 dias em citrinos.
  • Centro de informação anti-venenos: 808 250 143
  • Embalagens de 100g e 1kg - A embalagem vazia deverá ser lavada três vezes, fechada, inutilizada e colocada em sacos de recolha, devendo estes serem entregues num centro de recepção Valorfito; as águas da lavagem deverão ser usadas na preparação da calda.
  • Embalagem de 4g - A embalagem vazia não deverá ser lavada sendo completamente esgotada do seu conteúdo, inutilizada e colocada em sacos de recolha, devendo estes serem entregues num centro de recepção Valorfito.

Modo de Preparação da Calda e Utilização

No recipiente onde se prepara a calda deitar metade da água necessária. Juntar a quantidade de produto a utilizar e completar o volume de água, agitando sempre.

PULVERIZAÇÃO FOLIAR:

Para aplicação com barra de pulverização em culturas baixas:

Calibrar correctamente o equipamento, calculando o volume de calda gasto por ha, de acordo com o débito do pulverizador (L/min), da velocidade e largura de trabalho, com especial cuidado na uniformidade da distribuição da calda.

A quantidade de produto e o volume de calda deve ser adequado à área de aplicação, respeitando as doses indicadas.

Para aplicação em culturas arbustivas e arbóreas:

Calibrar correctamente o equipamento, assegurando a uniformidade na distribuição de calda no alvo biológico pretendido.

Calcular o volume de calda gasto por ha em função do débito do pulverizador (L/min), da velocidade e largura de trabalho (distância entrelinhas).

Nas fases iniciais de desenvolvimento das culturas aplicar a calda com a concentração indicada. Em pleno desenvolvimento vegetativo, adicionar a quantidade de produto proporcionalmente ao volume de água distribuído por ha, pelo pulverizador, de forma a respeitar a dose.

REGA GOTA-A-GOTA:

No caso das aplicações pelo sistema de rega calibrar o sistema de modo a permitir a injecção da quantidade exacta do produto. Condicionar o volume de água de modo a evitar perdas por percolação.

TABULEIROS DE VIVEIROS:

Aplicação foliar com regador

Aplicações foliares dirigidas ao tabuleiro tendo por objectivo saturar o substrato.

Imersão de tabuleiros

Os tabuleiros deverão ser submergidos numa calda preparada previamente, molhando até à altura do caule e até atingir a saturação do tabuleiro.

Dever-se-á fazer um ensaio em branco em água: 1- pesar 1 tabuleiro antes da imersão; 2- submergir o tabuleiro em água até atingir deixar de produzir bolhas de ar (ponto de saturação do substrato); 3- pesar novamente o tabuleiro; 4- Calcular a quantidade de água consumida para saturar o substrato de 1 tabuleiro; 5- Calcular a quantidade de produto necessário para o nº de plantas do tabuleiro; 6- Calcular o volume e a concentração de calda necessários para o tratamento da totalidade de plantas.

O ACTARA 25 WG não é corrosivo relativamente ao material de aplicação. No entanto, depois de cada tratamento, deve lavar-se o material de aplicação e passar várias vezes com água simples após a prévia remoção dos bicos e dos filtros que devem ser lavados separadamente.

  • Em caso de intoxicação contactar o Centro de Informação Antivenenos, Telef: 808 250 143

  • Protecção Integrada

    Segundo a Directiva do Uso Sustentável (Directiva 2009/128/CE) que foi transposta para a Lei nº 26/2013 (a 11 de Abril), é obrigatória a aplicação dos príncipios gerais da Protecção Integrada por todos os utilizadores profissionais. Cumprido esses príncipios gerais, todos os produtos fitofarmacêuticos autorizados em Portugal, para o combate aos inimigos das culturas são passíveis de ser utilizados em Protecção Integrada.

    Intervalo de Segurança

    CulturaIntervalo de Segurança (dias)
    Alface3 (rega)
    7 (foliar)
    Bananeira28
    Beringela3
    Batateira7
    Citrinos28
    Courgette3
    Couve-brócolo3
    Macieira14
    Melancia3
    Meloeiro
    Pepino
    Pereira14
    Pessegueiro
    Pimenteiro3
    Tomateiro
    Videira21
    Cerejeira7
    Feijão verde3
    Morangueiro1
    Eucalipto (viveiros)
    Espargo ornamental
    Feto ornamental
    Ruscus Italiano
    --

    L.M.R.

    Informação relativa aos LMRs, consultar a informação na página oficial da EU: http://ec.europa.eu/food/plant/pesticides/eu-pesticides-database/public/?event=activesubstance.selection&language=EN