You are here

Share page with AddThis

Tuta Absoluta

Ordem: Lepidoptera
Família: Gelechiidae

Originária da América do Sul, é, hoje em dia em Espanha, uma praga-chave na cultura do tomate.

Tem um alto poder de expansão devido ao seu elevado potencial reprodutivo: cada fêmea pode pôr até 260 ovos e alcançar as 12 gerações por ano nas zonas mais quentes.

Ataca o tomate em qualquer fase de desenvolvimento, se bem que as larvas preferem devorar gemas apicais, flores, frutos recém-vingados e folhas.

Nos frutos ainda não maduros penetram perto do cálice do fruto e nas folhas alimentam-se do mesófilo, deixando a epiderme intacta.

Quando há fortes infestações, é capaz de destruir toda a cultura.

A sua presença estendeu-se por todo o território nacional, afectando tanto as culturas ao ar livre, como em estufas.

É de difícil controlo devido ao seu elevado potencial de expansão e reprodução e à sua facilidade para gerar populações resistentes aos insecticidas.

O seu controlo passa pela implementação de estratégias de controlo integrado que combinem insecticidas, organismos de controlo biológico, feromonas e medidas culturais.

A fêmea de tuta deposita os ovos na página inferior das folhas.

Estes são cilíndricos, de cor entre branco-creme a amarelo e medem 0,4 mm de comprimento por 0,2 de diâmetro. Depois de eclodirem, as larvas passam por quatro fases larvárias, chegando a alcançar na última uma comprimento de cerca de 7,5 mm.

Costumam ter uma cor creme com a cabeça escura e a parte dorsal do protórax com uma estreita faixa escura, o que a diferencia da Phthorimaea operculella (traça da batata, também da família Gelechiidae), a qual tem a totalidade do referido segmento escuro.

Posteriormente passam a ter uma cor esverdeada e ligeiramente rosada, sobretudo na zona dorsal, a partir da segunda fase larvária.

As larvas têm entre 1 e 8 mm de comprimento.

A crisálida, de cor castanha, pode encontrar-se tanto no solo, sobre a superfície das folhas, como dentro das galerias, em função das condições ambientais.

A crisálida costuma estar coberta por um casulo branco e sedoso.

O adulto, que mede uns 10 mm, possui antenas filiformes e asas cinzentas com manchas negras sobre as asas anteriores.

A espécie precisa de 29 a 38 dias para completar o seu ciclo, segundo as temperaturas, e apresenta um número alto de gerações anuais: 10 a 12.

As baixas temperaturas são um factor condicionante para a sua sobrevivência.

Soluções Syngenta
 

 

Problema - imagens

Click an image to enlarge it


  • Tuta absoluta lagarta

    Tomate


  • Tuta absoluta lagarta

    Tomate


  • Tuta absoluta lagarta

    Tomate


  • Tuta absoluta adulto

    Tomate


  • Tuta absoluta dano no fruto

    Tomate


  • Tuta absoluta dano

    Tomate