You are here

Share page with AddThis

Bion 50 WG

Ultima atualização:
28.02.2020

Fungicida

Proteção de culturas

Authorisation Number: 
0574
Pack size: 
200 g
Composition: 
Formulation: 
Grânulos dispersíveis em água (WG)

Bioestimulante das defesas das plantas para o controle do míldio do tabaco, bacteriose da aveleira e fogo bacteriano da pereira e macieira.

O Bion® 50 WG, contém acibenzolar-S-metilo pertencente ao grupo químico do benzotiadiazol. Possui atividade sistémica e tem ação preventiva. Como bioestimulante o Bion® 50 WG estimula os mecanismos de defesa natural da planta, reforçando assim a resistência às doenças.

Aveleira

Bacteriose (Pseudomonas avellana)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

Concentra-ção (g/hL) / Dose (g/ha):

5 g/hL

ou

50 g/ha

Realizar tratamentos preventivos com intervalos de 3 a 4 semanas, antes da floração e durante o desenvolvimento vegetativo, quando as condições ambientais forem favoráveis ao desenvolvimento das doenças.

Número máximo de aplicações: 4

28 dias

Macieira

Fogo bacteriano (Erwinia amylovora)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

Concentra-ção (g/hL) / Dose (g/ha):

15 g/hL

ou

150-200 g/ha

Realizar tratamentos preventivos com intervalos de 5 a 14 dias, antes da floração, e durante o desenvolvimento do fruto com intervalos de 2 a 4 semanas, quando as condições ambientais forem favoráveis ao desenvolvimento das doenças.

Número máximo de aplicações: 6

7 dias

Pereira

Fogo bacteriano (Erwinia amylovora)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

Concentra-ção (g/hL) / Dose (g/ha):

15 g/hL

ou

150-200 g/ha

Realizar tratamentos preventivos com intervalos de 5 a 7 dias, antes da floração, e durante o desenvolvimento do fruto com intervalos de 2 a 4 semanas, quando as condições ambientais forem favoráveis ao desenvolvimento das doenças.

Número máximo de aplicações: 6

14 dias

Tabaco

Míldio (Peronospora tabacina)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

Concentra-ção (g/hL) / Dose (g/ha):

2,5-5 g/hL

ou

25-50 g/ha

Realizar tratamentos preventivos com intervalos de 7 a 10 dias, após a crise de transplantação e quando as condições ambientais forem favoráveis ao desenvolvimento das doenças.

Número máximo de aplicações: 4

7 dias

Classificação, rotulagem e embalagem (CRE)

  • GHS07

  • GHS09

Avisos legais

Declarações de precaução

  • Provoca irritação cutânea.
  • Pode provocar uma reação alérgica cutânea.
  • Provoca irritação ocular grave.
  • Muito tóxico para os organismos aquáticos com efeitos duradouros.
  • Não comer, beber ou fumar durante a utilização deste produto.
  • Usar luvas de proteção/vestuário de proteção/proteção ocular/proteção facial.
  • SE ENTRAR EM CONTACTO COM A PELE: lavar com sabonete e água abundantes.
  • SE ENTRAR EM CONTACTO COM OS OLHOS: enxaguar cuidadosamente com água durante vários minutos. Se usar lentes de contacto, retire-as, se tal lhe for possível. Continuar a enxaguar.
  • Em caso de irritação ou erupção cutânea: consulte um médico.
  • Recolher o produto derramado.
  • Eliminar o conteúdo de forma apropriada.
  • Ficha de segurança fornecida a pedido.
  • Não contaminar a água com este produto ou com a sua embalagem.
  • Para proteção dos organismos aquáticos, não aplicar em terrenos agrícolas adjacentes a águas de superfície.
  • Contém acibenzolar-S-metilo. Pode desencadear uma reação alérgica.

Modo de Preparação da Calda e Utilização

No recipiente onde se prepara a calda deitar metade da água necessária. Juntar a quantidade de produto a utilizar e completar o volume de água, agitando sempre.

Para aplicação com barra de pulverização em culturas baixas:
Calibrar corretamente o equipamento, calculando o volume de calda gasto por ha, de acordo com o débito do pulverizador (L/min), da velocidade e largura de trabalho, com especial cuidado na uniformidade da distribuição da calda.
A quantidade de produto e o volume de calda deve ser adequado à área de aplicação, respeitando as doses indicadas.

Para aplicação em culturas arbustivas e arbóreas:
Calibrar corretamente o equipamento, assegurando a uniformidade na distribuição de calda no alvo biológico pretendido.
Calcular o volume de calda gasto por ha em função do débito do pulverizador (L/min), da velocidade e largura de trabalho (distância entrelinhas).
Nas fases iniciais de desenvolvimento das culturas aplicar a calda com a concentração indicada. Em pleno desenvolvimento vegetativo, adicionar a quantidade de produto proporcionalmente ao volume de água distribuído por ha, pelo pulverizador, de forma a respeitar a dose

O Bion® 50 WG não é corrosivo relativamente ao material de aplicação. No entanto, depois de cada tratamento, deve lavar-se o material de aplicação e passar várias vezes com água simples após a prévia remoção dos bicos e dos filtros que devem ser lavados separadamente.

Precauções Biológicas

O Bion® 50 WG, é compatível com a maioria dos produtos fitofarmacêuticos de utilização mais comum.

Nas variedades de tabaco sensíveis ao míldio, ou em alturas de elevada pressão da doença, pode ser útil a mistura de Bion® 50 WG com produtos específicos para o controlo do míldio, o qual confere à planta defesas contra doenças causadas por vírus e bactérias.

  • Em caso de intoxicação contactar o Centro de Informação Antivenenos. Telef: 800 250 250

  • Proteção Integrada

    Segundo a Diretiva do Uso Sustentável (Diretiva 2009/128/CE) que foi transposta para a Lei nº 26/2013 (a 11 de Abril), é obrigatória a aplicação dos príncipios gerais da Proteção Integrada por todos os utilizadores profissionais. Cumpridos esses príncipios gerais, todos os produtos fitofarmacêuticos autorizados em Portugal, para o combate aos inimigos das culturas são passíveis de ser utilizados em Proteção Integrada.

    LMR

    Informação relativa aos LMRs, consultar a informação na página oficial da EU: http://ec.europa.eu/food/plant/pesticides/eu-pesticides-database/public/?event=activesubstance.selection&language=EN