You are here

Share page with AddThis

Carial Top

Ultima atualização:
03.03.2020

Fungicida

Proteção de culturas

Authorisation Number: 
0716
Pack size: 
5 l
Composition: 
Formulation: 
Suspensão Concentrada (SC)

Fungicida indicado para o controlo do míldio e alternariose em batateira e tomateiro.

O CARIAL TOP® é constituído por duas substâncias ativas: o difenoconazol (DMI) e a mandipropamida que é uma amida do ácido carboxílico (CAA). O difenoconazol é o inibidor da biossíntese dos esteróis na demetilação, com atividade preventiva e curativa, e a mandipropamida após pulverização foliar, é absorvida pela camada cerosa presente na superfície das plantas, assegurando resistência à lavagem pela chuva assim que a pulverização seque. A absorção pelos tecidos foliares assegura-lhe mobilidade translaminar. A mandipropamida inibe a germinação dos esporos (atividade preventiva), o crescimento do micélio (atividade curativa), quando aplicado imediatamente após a infecção e a produção de esporos (atividade anti-esporulante).

Batateira

Míldio (Phytophthora infestans) e Alternariose (Alternaria solani, Alternaria alternata)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

0,6 L/ha

As aplicações devem ser preventivas.

Iniciar os tratamentos em condições climáticas favoráveis ao desenvolvimento das doenças.

Utilizar este produto apenas quando o míldio e a alternariose aparecem em simultâneo.

A persistência biológica é de 7 dias para o controlo do míldio e 10 dias no controlo da alternariose.

Não realizar mais de 3 tratamentos, com este ou outros fungicidas contendo CAA e DMI.

3 dias

Tomateiro

Míldio (Phytophthora infestans) e Alternariose (Alternaria solani, Alternaria alternata)
Dose máxima individualRecomendaçõesIntervalo de segurança

60 mL/hL
(Máx. de 0,6 L/ha)

As aplicações devem ser preventivas.

Iniciar os tratamentos em condições climáticas favoráveis ao desenvolvimento das doenças.

Utilizar este produto apenas quando o míldio e a alternariose aparecem em simultâneo.

A persistência biológica é de 7 dias para o controlo do míldio e 10 dias no controlo da alternariose.

Não realizar mais de 3 tratamentos, com este ou outros fungicidas contendo CAA e DMI.

3 dias

Classificação, rotulagem e embalagem (CRE)

  • GHS09

Avisos legais

Declarações de precaução

  • Muito tóxico para os organismos aquáticos com efeitos duradouros.
  • Não comer, beber ou fumar durante a utilização deste produto.
  • Recolher o produto derramado.
  • Eliminar o conteúdo/embalagem em local adequado à recolha de resíduos perigosos.
  • Ficha de segurança fornecida a pedido.
  • Contém 1,2-benzisotiazol-3-ona. Pode provocar uma reação alérgica.
  • Não contaminar a água com este produto ou com a sua embalagem. Não limpar o equipamento de aplicação perto de águas de superfície. Evitar contaminações pelos sistemas de evacuação de águas das explorações agrícolas e estradas.
  • Para proteção dos organismos aquáticos, respeitar uma zona não pulverizada de 10 metros em relação às águas de superfície.

Modo de Preparação da Calda e Utilização

No recipiente onde se prepara a calda deitar metade da água necessária. Juntar a quantidade de produto a utilizar e completar o volume de água, agitando sempre.

Calibrar corretamente o equipamento, calculando o volume de calda gasto por ha, de acordo com o débito do pulverizador (L/min), da velocidade e largura de trabalho, com especial cuidado na uniformidade da distribuição da calda.
A quantidade de produto e o volume de calda deve ser adequado à área de aplicação, respeitando as doses indicadas.

Precauções Biológicas

Para evitar o desenvolvimento de resistências, não aplicar este produto ou qualquer outro que contenha CAA ou DMI, em mais do que 3 tratamentos, no conjunto das doenças e durante o ciclo cultural.

Recomenda-se que a aplicação de CARIAL TOP seja feita em sequência, ou em alternância, com produtos com diferente modo de ação.

  • Em caso de intoxicação contactar o Centro de Informação Antivenenos. Telef: 800 250 250.

  • Proteção Integrada

    Segundo a Diretiva do Uso Sustentável (Diretiva 2009/128/CE) que foi transposta para  a Lei nº 26/2013 (a 11 de Abril), é obrigatória a aplicação dos princípios gerais da Proteção Integrada por todos os utilizadores profissionais. Cumprido  esses princípios gerais, todos os produtos fitofarmacêuticos autorizados em Portugal, para o combate aos inimigos das culturas são passíveis de ser utilizados em Proteção Integrada.

    LMR

    Informação relativa aos LMRs, consultar a informação na página oficial da EU: http://ec.europa.eu/food/plant/pesticides/eu-pesticides-database/public/?event=activesubstance.selection&language=EN