You are here

Share page with AddThis

Affirm

Ultima atualização:
17.11.2017

Insecticida

Proteção de culturas

Número de autorização: 
4029
Embalagems: 
5 kg
10 Kg
Composição: 
Fórmula: 
Grânulos solúveis em água

Inseticida Affirm para controlar as traças dos cachos na vinha, o bichado, a mineira do tomateiro, lagartas na alface, traça oriental e a anarsia.

Alface

Praga Utilização Concentração Observações

Nóctuas
(Spodoptera exigua; Spodoptera littoralis; Helicoverpa armigera; Chrysodeixes chalcites)

Lagartas de lepidópteros
(Helicoverpa armígera)

Ar livre e estufa 1-1,5 kg/ha As aplicações podem-se realizar durante todo o ciclo cultural.
Fazer a primeira aplicação ao aparecimento das primeiras lagartas. Utilizar a concentração mais elevada, quando a intensidade de ataque da praga seja elevada.
Efectuar no máximo 3 aplicações por ciclo cultural, com intervalos de 7-10 dias, alternando os tratamentos com produtos com diferentes modos de ação.

Ameixeira

Praga Concentração Observações
Bichado da fruta
(Cydia funebrana)
200-250 g/hL As aplicações devem ser realizadas à eclosão das larvas da primeira geração. Utilizar a concentração mais elevada, quando a intensidade de ataque da praga seja elevada.
Efectuar no máximo 3 aplicações por ciclo cultural, com intervalos de 7-10 dias, alternando os tratamentos com produtos com diferentes modos de ação.

Beringela

Praga Utilização Concentração Observações
Nóctuas
(Spodoptera exigua; Spodoptera littoralis; Chrysodeixes chalcites)

Lagarta de lepidópteros
(Heliothis armigera)
Ar livre e estufa 100-150 g/hl As aplicações podem-se realizar durante todo o ciclo cultural.
Fazer a primeira aplicação ao aparecimento das primeiras lagartas. Utilizar a concentração mais elevada, quando a intensidade de ataque da praga seja elevada.
Efetuar se necessário no máximo 3 aplicações por ciclo cultural. O intervalo mínimo entre tratamentos deve ser de 7-10 dias, alternando os tratamentos com produtos com diferentes modos de ação.

Citrinos

Praga Concentração Observações
Mineira das folhas dos rebentos dos citrinos
(Phyllocnistis citrella)
150 g/hL (máximo de 2 kg/Ha)
+
Óleo mineral
Aplicar logo que se observem os primeiros sintomas de ataque nas folhas dos rebentos novos em crescimento. Em função do grau de ataque e de crescimento dos rebentos, e na presença de novas folhas, repetir o tratamento com um intervalo de 10 a 14 dias. Dirigir a pulverização para os rebentos com folhas jovens, molhando bem as folhas ainda em desenvolvimento. Efetuar se necessário no máximo 2 aplicações por ciclo cultural. O intervalo mínimo entre tratamentos deve ser de 10-14 dias, alternando os tratamentos com produtos com diferentes modos de ação.

Laranjeira, Limoeiro, Mandarina e Clementina.

Clementina

Praga Concentração Observações
Mineira das folhas dos rebentos dos citrinos
(Phyllocnistis citrella)
150 g/hL (máximo de 2 kg/Ha)
+
Óleo mineral
Aplicar logo que se observem os primeiros sintomas de ataque nas folhas dos rebentos novos em crescimento. Em função do grau de ataque e de crescimento dos rebentos, e na presença de novas folhas, repetir o tratamento com um intervalo de 10 a 14 dias. Dirigir a pulverização para os rebentos com folhas jovens, molhando bem as folhas ainda em desenvolvimento. Efetuar se necessário no máximo 2 aplicações por ciclo cultural. O intervalo mínimo entre tratamentos deve ser de 10-14 dias, alternando os tratamentos com produtos com diferentes modos de ação.

Courgette (aboborinha)

Praga Utilização Concentração Observações
Nóctuas
(Spodoptera exigua; Spodoptera spp.)
Ar livre e estufa 100-150 g/hl As aplicações podem-se realizar durante todo o ciclo cultural.
Fazer a primeira aplicação ao aparecimento das primeiras lagartas. Utilizar a concentração mais elevada, quando a intensidade de ataque da praga seja elevada.
Efetuar se necessário no máximo 3 aplicações por ciclo cultural. O intervalo mínimo entre tratamentos deve ser de 7-10 dias, alternando os tratamentos com produtos com diferentes modos de ação.

Couve-brócolo

Praga Utilização Concentração Observações
Traça-da-couve
(Plutella xylostella)

Lagarta-da-couve
(Pieris brassicae)

Nóctua
(Spodoptera littoralis)

Lagarta-do-tomate
(Heliothis armigera)
Ar livre 1-1,5 kg/ha As aplicações podem-se realizar durante todo o ciclo cultural.
Fazer a primeira aplicação ao aparecimento das primeiras lagartas. Utilizar a concentração mais elevada, quando a intensidade de ataque da praga seja elevada.
Efetuar se necessário no máximo 3 aplicações por ciclo cultural. O intervalo mínimo entre tratamentos deve ser de 7-10 dias, alternando os tratamentos com produtos com diferentes modos de ação.

Couve-flor

Praga Utilização Concentração Observações
Traça-da-couve
(Plutella xylostella)

Lagarta-da-couve
(Pieris brassicae)

Nóctua
(Spodoptera littoralis)

Lagarta-do-tomate
(Heliothis armigera)
Ar livre 1-1,5 kg/ha As aplicações podem-se realizar durante todo o ciclo cultural.
Fazer a primeira aplicação ao aparecimento das primeiras lagartas. Utilizar a concentração mais elevada, quando a intensidade de ataque da praga seja elevada.
Efetuar se necessário no máximo 3 aplicações por ciclo cultural. O intervalo mínimo entre tratamentos deve ser de 7-10 dias, alternando os tratamentos com produtos com diferentes modos de ação.

Couves de repolho

Praga Utilização Concentração Observações
Traça-da-couve
(Plutella xylostella)

Lagarta-da-couve
(Pieris brassicae)

Nóctua
(Spodoptera littoralis)

Lagarta-do-tomate
(Heliothis armigera)
Ar livre 1-1,5 kg/ha As aplicações podem-se realizar durante todo o ciclo cultural.
Fazer a primeira aplicação ao aparecimento das primeiras lagartas. Utilizar a concentração mais elevada, quando a intensidade de ataque da praga seja elevada.
Efetuar se necessário no máximo 3 aplicações por ciclo cultural. O intervalo mínimo entre tratamentos deve ser de 7-10 dias, alternando os tratamentos com produtos com diferentes modos de ação.

Laranjeira

Praga Concentração Observações
Mineira das folhas dos rebentos dos citrinos
(Phyllocnistis citrella)
150 g/hL (máximo de 2 kg/Ha)
+
Óleo mineral
Aplicar logo que se observem os primeiros sintomas de ataque nas folhas dos rebentos novos em crescimento. Em função do grau de ataque e de crescimento dos rebentos, e na presença de novas folhas, repetir o tratamento com um intervalo de 10 a 14 dias. Dirigir a pulverização para os rebentos com folhas jovens, molhando bem as folhas ainda em desenvolvimento. Efetuar se necessário no máximo 2 aplicações por ciclo cultural. O intervalo mínimo entre tratamentos deve ser de 10-14 dias, alternando os tratamentos com produtos com diferentes modos de ação.

Classificação, rotulagem e embalagem (CRE)

  • GHS09

Avisos legais

Declarações de precaução

  • Dado o risco intrínseco do aparecimento de resistências a qualquer insecticida, recomenda-se o uso de AFFIRM segundo um programa anti-resistência que compreenda a utilização de outros insecticidas com diferentes modos de acção.
  • Muito tóxico para os organismos aquáticos com efeitos duradouros.
  • Não comer, beber ou fumar durante a utilização deste produto.
  • Usar o equipamento de proteção individual exigido. Usar luvas adequadas durante a preparação da calda e aplicação do produto.
  • Recolher o produto derramado.
  • Eliminar o conteúdo/embalagem em local adequado à recolha de resíduos perigosos.
  • Ficha de segurança fornecida a pedido.
  • Não contaminar a água com este produto ou com a sua embalagem.
  • Perigoso para as abelhas. Para proteção das abelhas e de outros insetos polinizadores, não aplicar este produto durante a floração das culturas. Não aplicar este produto na presença de infestantes em floração.
  • Para proteção dos organismos aquáticos, respeitar uma zona não pulverizada de 5 metros em hortícolas; 15 metros em vinha e 30 metros em fruteiras e citrinos em relação às águas de superfície.
  • Depois da utilização do produto, lavar todo o vestuário de proteção.
  • Intervalo de Segurança – 3 dias em alface, beringela, courgette, couve-brócolo, couve-flor, couve de repolho, macieira, melancia, meloeiro, pepino, pereira, pimenteiro e tomateiro; 7 dias em ameixeira, citrinos, nectarina, pessegueiros e videira.
  • Em caso de intoxicação contactar o Centro de Informação Antivenenos. Telef.: 808 250 143
  • Embalagens não rígidas (caixas): A embalagem vazia não deverá ser lavada, sendo completamente esgotada do seu conteúdo, inutilizada e colocada em sacos de recolha, devendo estes serem entregues num centro de receção Valorfito.
  • Embalagens rígidas (garrafas): A embalagem vazia deverá ser lavada três vezes, fechada, inutilizada e colocada em sacos de recolha, devendo estes serem entregues num centro de receção Valorfito; as águas de lavagem deverão ser usadas na preparação da calda.

Modo de Preparação da Calda e Utilização

No recipiente onde se prepara a calda deitar metade da água necessária. Juntar a quantidade de produto a utilizar e completar o volume de água, agitando sempre.

Para aplicação com barra de pulverização em culturas baixas:
Calibrar correctamente o equipamento, calculando o volume de calda gasto por ha, de acordo com o débito do pulverizador (L/min), da velocidade e largura de trabalho, com especial cuidado na uniformidade da distribuição da calda.
A quantidade de produto e o volume de calda deve ser adequado à área de aplicação, respeitando as doses indicadas.

Para aplicação em culturas arbustivas e arbóreas:
Calibrar correctamente o equipamento, assegurando a uniformidade na distribuição de calda no alvo biológico pretendido.
Calcular o volume de calda gasto por ha em função do débito do pulverizador (L/min), da velocidade e largura de trabalho (distância entrelinhas).
Nas fases iniciais de desenvolvimento das culturas aplicar a calda com a concentração indicada. Em pleno desenvolvimento vegetativo, adicionar a quantidade de produto proporcionalmente ao volume de água distribuído por ha, pelo pulverizador, de forma a respeitar a dose.

  • Em caso de intoxicação contactar o Centro de Informação Antivenenos. Telef.: 808 250 143

  • Protecção Integrada

    Segundo a Directiva do Uso Sustentável(Directiva 2009/128/CE) que foi transposta para a Lei nº 26/2013(a 11 de Abril), é obrigatória a aplicação dos príncipios gerais da Protecção Integrada por todos os utilizadores profissionais. Cumprido esses príncipios gerais, todos os produtos fitofarmacêuticos autorizados em Portugal, para o combate aos inimigos das culturas são passíveis de ser utilizados em Protecção Integrada.

    Intervalo de Segurança

    Cultura Intervalo de Segurança (dias)
    Tomate 3
    Beringela 3
    Alface 3
    Pimento 3
    Vinha 7
    Macieira 3
    Pereira 3
    Morangueiro 1
    Couve-repolho 3
    Couve-brócolo 3
    Couve-flor 3
    Courgette 3
    Nectarina 7
    Pessegueiro 7
    Ameixeira 7
    Pepino 3
    Melão 3
    Melancia 3
    Citrinos (laranjeira, limoeiro, mandarina,clementina) 7
    Alface de Cordeiro 3
    Couve-frisada 3
    Pak-choi 3
    Tatsoi 3
    Mizuna 3
    Mostardas 3
    Rúcula/ rúcula selvagem 3
    Alecrim 3
    Cebolinho 3
    Coentros 3
    Hortelã 3
    Oregãos 3
    Salva 3
    Tomilho 3

    L.M.R.

    Informação relativa aos LMRs, consultar a informação na página oficial da EU:: http://ec.europa.eu/sanco_pesticides/public/index.cfm